Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 29 de março de 2010

Linhas para Armando

Crédito: Internet Linhas para Armando
Ele teria nascido Imprensa...

Lá vou eu, escrever na sequência, outro artigo sobre a morte de alguém. Tentei recolher-me na tristeza e deixar o dia acabar, mas não consegui. Para quem possui o gene jornalístico nas veias, não há como deixar de homenagear o ícone Armando Nogueira com algumas singelas linhas.

Nunca algo de tão bom veio do Acre. Nascido em Xapuri, Armando tornou-se um dos pioneiros da televisão ao implantar o núcleo de jornalismo da Rede Globo. Jornal Nacional e Globo Repórter são obras suas. Se a emissora tem como trunfos a qualidade em telejornalismo e telenovelas, no caso do primeiro deve muito a Nogueira.

Ele aparecia pouco na telinha. Era homem de direção, de planejamento. Era um visionário, enxergou além de seu próprio tempo. Porém, destacava-se também no rádio e na imprensa escrita. Era do tempo que o jornalista devia ser completo, atuando bem em qualquer tipo de meio de comunicação.

Como cronista esportivo, foi um gênio. Autor de alcunhas e frases célebres. Foi Armando quem apelidou Garrincha de “o anjo de pernas tortas”. E foi ele quem sentenciou: “Se Pelé não tivesse nascido gente, teria nascido bola”. Tudo com a maior espontaneidade, aquela que vem das pessoas realmente talentosas.

Há três anos foi diagnosticado um câncer no cérebro de Nogueira. A descoberta mudou sua rotina de senhor já com 80 anos de idade. Falecendo hoje (29/03), perdeu a batalha para a doença. Mas venceu a guerra ao sair de cena vitorioso e admirado por seu trabalho e pela pessoa magnífica que era em particular.

Se Armando Nogueira não tivesse nascido gente, teria nascido Imprensa.

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo