Sustentabilidade

Publicado: Quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

29 milhões de litros de esgoto podem deixar de ser despejado no Tietê

Mais de 29 milhões de litros de esgoto deixarão de ser jogados mensalmente no rio Tietê devido a uma iniciativa da Sabesp em parceria com o Tribunal de Justiça de São Paulo. Esse era o volume de rejeitos que 78 imóveis lançavam irregularmente na natureza simplesmente porque não tinham se conectado à rede coletora, mesmo tendo o tubo instalado em suas portas.

A lista de imóveis na capital e na Grande São Paulo que se comprometeram a fazer a conexão conta com igreja, padaria, condomínios e residências, entre outros. Eles correspondem a 1/4 dos clientes que foram convocados pelo Tribunal de Justiça para participar da Semana Nacional da Conciliação, realizada em novembro, e acertar a pendência com a Sabesp.

Foram selecionados porque geram muito esgoto – acima de 50 mil litros por mês. Ao resolverem a situação, eles deixam de jogar sua sujeira em córregos ou nas galerias de chuva, que deságuam no rio Tietê. São 29,2 milhões de litros mensais de rejeitos que agora passarão por tratamento.

Até agora, 25 imóveis já se conectaram, o que já evita que 6,3 milhões de litros de rejeitos cheguem ao rio. Outros 53 grandes consumidores se comprometeram a ligar seus imóveis à rede coletora até o final de janeiro. Se todos eles cumprirem a promessa, serão mais 22,9 milhões de litros de esgoto por mês que deixarão de cair no Tietê.

O problema, porém, está longe de ser resolvido. A Sabesp e a Justiça notificaram 318 imóveis que não estão conectados e que têm alto volume produzido de esgoto na Grande São Paulo. Eles geram 72,8 milhões de litros de esgoto por mês. Como apenas 78 deles firmaram acordo para parar de poluir, 240 grandes clientes continuam jogando 43,6 milhões de litros de esgoto no Tietê. A companhia vai encaminhar ao Ministério Público a lista desses clientes para serem acionados na Justiça.

Se forem considerados todos os clientes, inclusive os de menor volume produzido de esgoto por mês, a Grande São Paulo possui cerca de 160 mil imóveis jogando sua sujeira nos rios quando poderiam enviar seus rejeitos para tratamento, bastando fazer a ligação à rede coletora na rua. Desses, 160 mil clientes, 65 mil estão na capital paulista.

Confira vídeo explicando como as ligações factíveis de esgoto prejudicam a população!

Comentários

Mais lidas do canal