Educação

Publicado: Quarta-feira, 11 de abril de 2018

Metodologia dos Sons: quebrando o paradigma do aprendizado de línguas

Confira entrevista com o pesquisador e criador do método!

Crédito: Jéssica Ferrari/Itu.com.br Metodologia dos Sons: quebrando o paradigma do aprendizado de línguas
Metodologia prioriza o treino da audição e da fala

O aprendizado de uma nova língua se mostra hoje não ser só um diferencial, mas algo cada vez mais preciso no mundo empresarial, acadêmico ou pessoal. No entanto, em muitos casos aprender um novo idioma se torna algo pouco atraente e cansativo, devido aos paradigmas impostos aos alunos. E dessa forma, eles acabam não conseguindo absorver esse conhecimento, nem se comunicar corretamente. A Metodologia dos Sons visa facilitar todo esse processo, priorizando o treino da audição e da fala, para que haja a compreensão clara da língua estudada e posteriormente, de forma natural, o desenvolvimento da leitura e da escrita.

Esse método próprio foi criado pelo professor e pesquisador ituano, Sidarta da Silva Martins e é aplicado no Centro Cultural Europeu (CCE) – London School. O trabalho já foi apresentado em Congressos em diversas Universidades no Brasil, como a Federal do Rio Grande do Sul, Unicamp, Mackenzie, Congresso Saber, Unibero, Uniso, Federal de São Carlos, entre outras. 

Confira abaixo entrevista com Sidarta Martins e conheça mais sobre a metodologia:


Itu.com.br - Como e quando foi criada a Metodologia dos Sons?

A Metodologia dos Sons nasceu em Londres, há mais de 20 anos, resultado de observação da comunicação, ou falta dela, de brasileiros e outros falantes da Língua Inglesa, não nativos, que não compreendiam e não conseguiam se fazer compreender junto aos Britânicos, devido a erros de pronúncia das palavras em Inglês. Muitos haviam estudado Inglês por anos no Brasil. Alguns tinham, inclusive, formação em Letras, compreendiam gramática, compreendiam um texto, mas não conseguiam se expressar corretamente, nem compreender o que ouviam.

Então veio a pergunta sobre o porquê disso. Qual a razão de uma pessoa estudar anos a fio uma língua estrangeira, não só a Língua Inglesa, mas não conseguir compreender e/ou se fazer compreender quando utilizando esta língua?

Ainda em Londres iniciei pesquisas e passei a questionar meus professores da escola em que estudava Inglês Avançado, no Centro de Londres. Isso me levou a pesquisar sobre as formas de aprendizado de um idioma, ou da própria Língua Mãe, e como o nosso cérebro capta aquilo que percebe à sua volta. No meu retorno ao Brasil, depois de 10 anos participando de congressos, trabalhando e morando nos Estados Unidos e Europa, continuei essas pesquisas, agora com observação em Sala de Aula, nas Universidades em que lecionei e no Centro Cultural Europeu (CCE), uma Escola de Línguas criada com um fim específico: Desenvolver a Metodologia dos Sons.

Itu.com.br - O que é a Metodologia dos Sons? Quais seus diferenciais?

Na realidade a Metodologia dos Sons não tem um grande diferencial em relação às outras metodologias de ensino de línguas, seja da Língua Mãe ou qualquer outra língua estrangeira. O ponto principal, que não é levado em consideração pela maioria das Escolas, sejam elas públicas ou privadas, é a questão da “Fala” e da “Audição”.
No CCE isto é visto como uma prioridade.

O nosso cérebro tem áreas específicas, ou seja, tem uma área para audição, outra para a fala, outra para os movimentos (escrita é um movimento), outra para visão, para percepção espacial, entre outras, que se interagem o tempo todo. Então o que ficou claro em minhas observações, depois de praticamente 20 anos de pesquisa e participação em congressos e workshops nacionais e internacionais, é que o aprendizado é físico. Isso mesmo! O aprendizado é físico, dependendo da quantidade de neurônios envolvidos em cada tarefa.

Importante salientar que esta é uma descoberta minha, depois de anos de observação. Nenhum outro autor falou sobre isso dessa forma no passado, pelo menos que eu tenha tido contato. E olha que estudei vários como Saussure, Ann Baker, Underhill, Chomsky, David Sousa, Umberto Eco e David Crystal, entre outros.

Como assim? Bem, quando você se envolve com tarefas novas, novos neurônios “são designados” para essas tarefas (aqui lembro que temos mais de 100 bilhões de neurônios para a manutenção do corpo e para o aprendizado de novas tarefas, e somente usamos uma parte ínfima desse total). O neurônio é algo físico, responsável por reter o conhecimento, através de vibrações que recebe (como ondas de rádio). Então, quando você se dedica de forma repetida a uma determinada tarefa, mais neurônios são designados para “aprender” e “apreender” esta tarefa, para “decorar” esta tarefa, até um ponto em que o cérebro esteja satisfeito. Exatamente como acontece com o processo de alimentação. Quando você se sente satisfeito, para de comer.

Aí é que entra a parte importante dessa descoberta à qual nomeei Metodologia dos Sons. Se você ouve várias vezes um novo som (uma palavra falada é um conjunto de sons) uma quantidade enorme de neurônios fará a retenção desse som, ao passo que se você ouve apenas uma ou duas vezes, a famosa “SINAPSE” não ocorrerá, ou seja, o som não será retido, não podendo ser reconhecido em outras oportunidades.

Quando você tem os sons devidamente “retidos” pelo cérebro, em área específica, própria para isso, você pode reproduzi-los através dos “órgãos da fala”, ou através de instrumentos musicais. O interessante é que as outras áreas cerebrais se encarregam de auxiliar nesta tarefa. Se você tem formação gramatical na língua que está sendo estudada, sabe escrever corretamente, pronto, está concluído o aprendizado.

A isso chamamos “fluência na língua”. Aconteceu a “SINAPSE”.

Itu.com.br - Como essa Metodologia é aplicada na prática?

Todo aluno que chega ao CCE é submetido a um teste de leitura, de audição e de gramática básica. Se já traz algum conhecimento da língua que pretende estudar, com destaque para a Língua Inglesa, normalmente se sai bem na gramática e vocabulário, mas sente grande dificuldade na hora de falar e de ouvir, e/ou reproduzir o que está ouvindo.

Com o passar do tempo o quadro muda, passando a compreender e ser compreendido. Aí fica ansioso para aumentar o vocabulário (uma necessidade cerebral), algo que só o tempo e a dedicação poderá lhes dar.

Não existe milagre! Não se aprende uma língua estrangeira em menos de 3 anos de dedicação semanal, a não ser que você esteja no exterior. Mesmo assim, a quantidade de informações exigida é grande, e exige tempo para acumular, para que o cérebro retenha essas informações.

Quanto mais estudamos, mais nos dedicamos, mais retemos novas informações e mais nos desenvolvemos... E passamos a querer mais, e mais, e mais, pois o conhecimento é algo fantástico e infinito.

Itu.com.br - A Metodologia dos Sons pode ser utilizada para o aprendizado de qualquer língua, e em qualquer idade?

Sim. A Metodologia dos Sons nasceu para o ensino da Língua Inglesa, mas com o passar do tempo, e com a participação em congressos voltados para outros idiomas, pude perceber que sim, através dela você pode aprender qualquer idioma existente no Mundo. Claro que o aprendizado de um idioma é mais trabalhoso que de outro, dependendo da raiz, da origem de cada um, se próximos ao Latim, ou distantes, como o Idioma Russo, por exemplo.

E pode ser utilizada para o ensino de línguas em todas as idades. Costumo dizer que criança começa a aprender uma nova língua na barriga da mãe, pois recebe todos os sons que estão à volta e todas as informações que estão armazenadas no cérebro da mãe, além da herança genética, que influi muito no aprendizado de qualquer nova habilidade.

No CCE temos crianças de 7 a 70 anos de idade. Já tivemos uma aluna de 75 anos, por vários meses. O sonho dela era aprender o básico de Inglês, e aprendeu. E ficou muito feliz por isso.

Itu.com.br - Quais os resultados da aplicação dessa Metodologia nos alunos do Centro Cultural Europeu (CCE)?

Te dou um exemplo prático. Recentemente chegou ao CCE um profissional de alto nível de uma multinacional da região. Teve a indicação de outro executivo que havia “destravado a língua” em nossa Escola, há alguns anos. Pois bem, este executivo havia estudado inglês por anos a fio, mas não conseguia participar de uma entrevista ou de uma reunião, sem ficar embaraçado.

Fez a matrícula e iríamos iniciar as aulas em um determinado dia da semana. Porém, no dia seguinte à matrícula, ficou sabendo que deveria representar a empresa em uma reunião internacional e deveria apresentar um trabalho sobre o desenvolvimento de um novo produto. Bateu pânico! Procurou-me e eu o acalmei. Disse-lhe que já tinha todas as condições para a apresentação, que tinha o conhecimento do produto. Somente precisava de treinamento em Inglês.

Como reunião seria um mês depois, passamos a treinar intensamente a apresentação de PP (Power Point) em voz alta, corrigindo a pronúncia, focando no que era importante. Em um final de semana chegamos a ficar 4,5 horas treinando.

Conclusão: O profissional fez uma apresentação brilhante, ficou feliz, e como resultado terá que fazer a apresentação na Matriz da empresa, no exterior.

Temos vários casos como este, mas acho que já se pode ter uma ideia dos resultados. Inúmeros profissionais e executivos de multinacionais, que não falavam inglês, apesar de terem estudado esta língua por muitos anos, hoje estão confiantes e com a autoestima elevada, graças à Metodologia dos Sons. O melhor da história é que trazem seus filhos e familiares para estudarem com a gente.

Itu.com.br - Quais os benefícios pessoais e profissionais de se aprender uma língua estrangeira nos dias atuais?

O Mundo hoje está “globalizado”. Não há como fugir dessa realidade. Para que os jovens e profissionais possam compreender e serem compreendidos, aqui ou no exterior, precisam conhecer o Inglês e outra língua, ou mais.

As descobertas tecnológicas, as atividades culturais, as atividades ligadas à Medicina, ao Design, à Engenharia, à Mecatrônica, à Logística, à abrangente área das Biomédicas, à Gastronomia, enfim, todas elas exigem a leitura e participação e atividades e congressos onde são usados outros idiomas que não o Português.

Um jovem que não fala Inglês hoje em dia sente-se isolado da turma no Colégio. Tudo que passa pelo Facebook, pelo Instagram, pela Web, enfim, está em vários idiomas, com destaque para o Inglês, a começar pelo nome desses aplicativos.

Itu.com.br -  Além da utilização da Metodologia dos Sons, qual o diferencial do ensino de línguas no CCE?

O CCE realmente se diferencia de todas as outras Escolas de Línguas. Uma coisa que eu, como Professor Universitário, sempre prezei, foi o respeito ao aluno. Há que se respeitar o aprendizado, a dedicação à aquisição do conhecimento. O mundo está carente de conhecimento.

Assim, o aluno que nos procura sabe que terá aula o ano todo, respeitando-se apenas os feriados e o mês de férias, necessários ao descanso do profissional e do aluno. O cérebro precisa de um tempo para fazer a sedimentação do conhecimento, precisa de um descanso para poder armazenar com calma tudo que recebe de novo, mas este descanso não pode ser de três ou quatro meses, com certeza, senão o aprendizado não acontece.

Por outro lado não concordamos com a simples “venda” de material didático que normalmente não é usado pelo aluno. Então não cobramos as altas taxas de material que se cobra hoje no mercado. Não entendemos como correta a vinculação do aluno por um período de seis meses à escola, ou um ano. Ou mesmo por tempo menor. Cada um sabe de suas necessidades e de suas escolhas.

Nossa Escola segura o aluno pela qualidade de ensino, pelo respeito que temos para com ele, nada mais. Não há necessidade de se obrigar o aluno a permanecer na escola, mesmo que seja por um dia, se ele não quiser.

Aqui no CCE – Centro Cultural Europeu, o aluno compreende e é compreendido. O exercício do falar, ouvir, ler e escrever é visto como algo prazeroso, não como algo maçante, obrigatório. Há que se ter prazer em tudo que se faz.

Nossas salas regulares tem, no máximo, 6 alunos por turma. E temos nossos cursos VIP, voltados para um ou dois alunos que tem um foco específico. O aluno do CCE sente prazer em estar conosco.

Nossas matrículas estão abertas o ano todo e atendemos pela manhã, à tarde e à noite, inclusive aos sábados. Temos um Centro de Treinamento voltado para Recursos Humanos e para treinamento direcionado para executivo e outros profissionais, com atendimento nas empresas e também na casa dos alunos que assim o desejarem.


Contatos e mais informações:


O Centro Cultural Europeu – Escola de Línguas fica na Avenida Alfredo Savi, 290, no Jardim Novo Itu, em Itu/SP. Está aberto a partir das 8h e atende até às 22h. Contatos podem ser feitos por E-mail, london_cons@hotmail.com, ou pelos telefones (11) 4022-3909 e (11) 98362-9648, que também atende pelo WhatsApp.

Comentários