Educação

Publicado: Quarta-feira, 18 de abril de 2012

Kony 2012: ajude a fazer de um criminoso uma personalidade famosa!

Por 26 anos Kony sequestra crianças e as faz soldados.

Kony 2012: ajude a fazer de um criminoso uma personalidade famosa!
Em 26 anos, o líder do grupo rebelde L.R.A. já sequestrou mais de 30 mil crianças

Por Camila Bertolazzi

Um vídeo emocionante, baseado numa causa nobre. Kony 2012 mostra crianças vítimas de um chefe guerrilheiro em Uganda, que foram sequestradas para servir sob as ordens de Joseph Kony. Criado pela ONG americana “Invisible Children” (Crianças Invisíveis), o filme pede a prisão de Kony e dinheiro para combater o abuso contra as crianças africanas.

O movimento começou em 2003, quando Jason Russell, o diretor, documentarista, e líder da ONG, conheceu Jacob, na época, uma criança. Segundo a história contada no vídeo, o africano revela como ele e milhões de outras crianças fogem de guerrilheiros, escondendo-se em abrigos provisórios sem nenhuma infraestrutura. Em lágrimas, Jacob também conta como o irmão foi morto ao tentar fugir: “Eles cortaram o pescoço dele”.

Imagens chocantes e depoimentos emocionantes dão sequência ao vídeo visto por milhões de pessoas em todo o mundo. “É melhor quando eles nos matam. Nós não queremos ficar. Ninguém cuida de nós, não vamos à escola. Como ficaremos no nosso futuro?”, desabafa Jaboc.

Foi então que o norte-americano Jason Russell prometeu que iria reverter essa trágica situação. “Nós vamos pará-los”, garante. Desde então, diversos vídeos foram divulgados e vem atraindo milhares de seguidores à causa.

Na divulgação mais recente, de 30 minutos, Jason Russell mostra o próprio filho, Gavin, e, por meio de fotos, conta ao garoto quem é Joseph Kony. "Ele toma as crianças dos pais, dá armas a elas para matar outras pessoas. O que você acha disso?”. “Triste", responde o menino.

E a história começa: em 26 anos, o líder do grupo rebelde L.R.A. já sequestrou mais de 30 mil crianças, fazendo das garotas prostitutas e dos garotos, soldados mirins. “Ele mutila os rostos das crianças e as forçam a matar seus próprios pais”.

Baseado na porcentagem de que 99% das pessoas no planeta não conhecem essa situação, Jason Russell convida a população a fazer de Kony uma pessoa famosa, para que o governo Norte Americano tome uma posição sobre esses crimes e ajude a capturá-lo.

A ideia está dando certo. “Kony 2012” virou uma marca. Pulseiras, camisetas, pôster, tudo está sendo vendido pela Invisible Children. Só que as críticas vieram com a mesma força. Defensores dos direitos humanos dizem que a campanha é oportunista. A ONG que criou a campanha Kony 2012 arrecadou US$ 13,7 milhões no último ano. Gastou quase US$ 9 milhões; a maior parte com despesas de pessoal, com viagens e com a realização de vídeos. Apenas 37% foram destinados para obras de caridade.

É indiscutivel a capacidade de informar e emocionar transmitida pelo vídeo, mas não podemos esquecer que a ONG está sendo acusada e deve muitos esclarecimentos. Até que tudo esteja claro, você também pode fazer a sua parte; ajude a divulgar a campanha: compartilhe o vídeo e curta a página no Facebook, mas melhor esperar para ajudar financeiramente. Essa é a nossa dica da série "Web do Bem" dessa semana.

Comentários

Ariza Centro Veterinrio