Educação

Publicado: Sexta-feira, 16 de março de 2018

Grupo de Antroposofia de Itu promove palestra "Jardim Waldorf"

Evento gratuito ocorre dia 21 de março.

Grupo de Antroposofia de Itu promove palestra "Jardim Waldorf"
Tema será abordado pela professora Camila Fornaziero

O Grupo de Estudos da Antroposofia Sol Itu realizará no próximo dia 21 de março (quarta-feira), a partir das 19h30, no Sincomércio, mais uma palestra gratuita. O tema “Jardim Waldorf”, será abordado pela professora Waldorf, Camila Fornaziero, fundadora da escola Micael, pedagogia Waldorf, de Sorocaba há 8 anos. O primeiro setênio é o alicerce, o fundamento para que cada pessoa possa cumprir seus desígnios, a história que a si mesma se propôs.

A pedagogia Waldorf foi desenvolvida por Rudolf Steiner e tem como objetivo promover o livre desenvolvimento da individualidade com os melhores impulsos crescentes na criança. Difere de muitos outros métodos educacionais, na medida em que não pretende enfocar em metas educacionais predeterminados para a criança, mas ir em busca das forças que estão adormecidos na própria criança, individualmente.

"A pedagogia Waldorf não é um sistema educacional, mas uma arte com a qual se desperta o que há no ser humano. Não pretendo educar com pedagogia Waldorf, mas despertar. Pois agora o tempo é de despertar. Em primeiro lugar, os professores devem ser despertados, em seguida, os professores devem despertar as crianças e os jovens novamente." (Rudolf Steiner: GA 217, S 36).

“A pedagogia Waldorf não é um bicho de sete cabeças, apesar de ser completamente diferente do que a maioria das pessoas tem como referência de escola. O ensino e a forma podem parecer estranhos aos olhos leigos, mas a pedagogia tem muito a nos ensinar. Seja do ponto de vista pedagógico ou humano. Existe uma premissa no ensino que é formar seres humanos. Antes de querer formar alunos que tiram notas altas. É o que está por trás do conceito 'educação para a liberdade'”.

Nas escolas Waldorf, as crianças têm aula de tricô, euritmia, aprendem alemão e tocam instrumentos de cordas, como violoncelo e violino. São alfabetizadas apenas com sete anos e nenhum professor usa livro didático ou caderno pautado. As crianças trocam o lápis pela caneta tinteiro inicialmente, só pintam com aquarela e usam mochilas de couro que foram feitas por seus pais. Os alunos não levam bolachas recheadas, doces e trash food nas lancheiras. Suco de caixinha nem pensar! Pães, só integrais. No pátio, brincam de brincadeiras tradicionais. Parece coisa de cidade do interior. Crianças do quinto e sexto anos ainda jogam taco no recreio e brincam de pega-pega, por exemplo. A arquitetura da escolas propicia o brincar de corda, casinha, perna de pau, entre outras coisas que as crianças inventam. Um lugar que foi pensado levando em conta o livre brincar e que coloca pequenos desafios de autonomia e desenvolvimento corpóreo a favor do autoconhecimento.”( fonte: catraca livre - Carolina Delboni - jornalista e consultora em comportamento e tendência infantil)

Serviço:
Palestra: “Jardim Waldorf”
Palestrante: Professora Camila Fornaziero
Dia: 21/03/2018 (quarta-feira)
Horário: 19h30
Local: Sincomércio – Itu
Rua Maestro José Vitório, 137, Centro – Itu/SP
Realização: Grupo de Estudo de Antroposofia Sol Itu
www.antroposofia.com.br
Apoio: Itu.com.br e Sincomércio

Comentários

Ariza Centro Veterinrio