ponto-turístico-casaimperial

O que é coaching? Conheça essa metodologia que é tendência no mercado

Publicado: Terça-feira, 1 de setembro de 2015 por André Roedel


Saiba a opinião de profissionais da área sobre o processo!

Imagem Ilustrativa
Foto
O coach apresenta ferramentas para que seu cliente alcance os objetivos

Por André Roedel

Você já ouviu falar em coaching? É bem provável, pois essa palavra de língua inglesa – que surgiu na Europa do século XIV para designar um modelo de carruagem – está cada vez mais presente no dialeto do mercado de trabalho. Mas você conhece o seu significado? Para explicar, entrevistamos especialistas sobre o tema e pessoas que já passaram pelo processo para contarem um pouco sobre essa nova tendência.

Segundo Dario Neto, idealizador do “Mural do Coach” e colunista do Itu.com.br, coaching é uma metodologia baseada em perguntas e escuta que tem finalidade de desenvolvimento. Em alguns encontros, o coach (que é o profissional que aplica o processo) estabelece metas ao cliente (chamado de coachee) de forma que ele possa adquirir ferramentas para ir ao encontro delas.

“Ela (a metodologia) trabalha com ampliação de consciência e a responsabilidade que surge a partir disso. Trata-se de um estímulo para o autoconhecimento muito intenso”, completa o jovem, que se interessou pelo assunto ainda na faculdade de Engenharia. Para a jornalista Vivian Goldmann, que é pós-graduada em coaching ontológico (uma das vertentes do processo) e também é colunista do Itu.com.br, a metodologia visa atender também questões existenciais, profissionais, financeiras, familiares, físicas etc.

Os benefícios do coaching são vários. Quebrar inércia, fazer pensar, provocar ação, desenvolver competências, gerar novos comportamentos e aproximar pessoas de seus objetivos ou metas são alguns deles, conforme Dario explica. “O maior benefício é a congruência entre o querer, o pensar e o agir, e isso impacta tudo aquilo que permeia o que é o assunto ou tema em pauta no processo de coaching”, esclarece.

O crescimento na procura pelo coaching se deve a mudanças no mercado de trabalho, aponta a psicóloga Elaine Coimbra. “Hoje o mercado é mais competitivo e exige mais dos profissionais, que por outro lado também estão buscando esse desenvolvimento, as pessoas não se acomodam mais, buscam o movimento, e para estarem bem colocadas profissionalmente precisam investir em si mesmas”, explica Elaine, que também é colunista do Itu.com.br.

Métodos e aplicabilidade

De acordo com a Sociedade Brasileira de Coaching, que atua no país desde 1999, a metodologia é constituída de várias artes e disciplinas, desde algumas muito antigas, como as artes de recordar e escutar; até outras mais recentes, entre elas a teoria de sistemas, a biologia do conhecimento e a filosofia da linguagem. “O coaching bebe na Administração, Psicologia, Psicologia Positiva, Programação Neurolinguística e outros campos da ciência correlatos”, relata Dario Neto.

“Um processo de coaching atende o mercado de forma mais veloz e tenta ajudar ao coachee a refletir e mergulhar em sua história de uma forma mais rápida e pontual, mas não menos profunda (que uma terapia, por exemplo)”, explica Vivian. A metodologia pode auxiliar não só na sua profissão, como também na sua vida pessoal. “Hoje em dia está se ramificando cada vez mais. Há pessoas que se especializam em carreiras, outras em life coaching, outras em esporte, outras em família”, completa a profissional.

“Coaching é coaching e sempre tem a mesma essência, mas com certeza é possível fazer uso das técnicas aplicado à vida pessoal e à vida profissional”, concorda Dario, que também aponta a principal diferença entre as duas modalidades: “A grande diferença está nos interesses e nos objetivos finais, visto que temos que considerar interesses da organização quando se trata de coaching executivo”, explica.

Experiência própria

O promotor de eventos e repórter, Guilherme Diaz, viu no coaching uma forma de auxiliar sua carreira. “Senti a necessidade de ter alguém de fora, isto é, sem vínculo comigo, para me auxiliar”, diz. No caso dele, o processo ajudou e muito. “Foi algo que mudou minha vida. Passei a enxergar coisas que eu não via antes”, explica. Segundo Diaz, o coaching trouxe muitos benefícios, entre eles a vontade de ajudar outras pessoas também.

Já o jornalista Rafael Ramires entrou na onda do coaching por curiosidade. “Inicialmente meu interesse pelo coaching foi por curiosidade, pois não sabia do que se tratava ao certo”, explica. “Li um pouco sobre, falei com amigos, até fui convidado por um amigo a conhecer e gostei”. A experiência dele também foi positiva. “Foi muito boa! Me fez enxergar minha vida pessoal e profissional de forma diferente”, relata.

Porém, como tudo que é novo, ambos tinham receios sobre a eficácia do coaching. “Confesso que tinha sim. Por falta de conhecimento, duvidava dos resultados”, afirma Ramires. “Acho que esse nome assusta, mas em minha opinião é algo que existe há tempos, só deu uma ‘gourmetizada’ e isso assusta um pouco, mas é tranquilo”, explica Diaz.

Desconfiança

Essa desconfiança inicial é natural, mas com o tempo elas vão se esvaindo. “Há coachees que apresentam certas resistências iniciais, mas que acabam percebendo suas necessidades de mudanças”, afirma Vivian. Para ela, as dúvidas sobre a eficácia do coaching se devem ao desconhecimento da metodologia e as diferentes vertentes.

“Muitas vezes ouço feedbacks incríveis sobre os resultados e às vezes escuto que a metodologia não serviu para absolutamente nada”, relata Dario, que acredita que esta constatação merece uma análise mais profunda. “Profissionais coaches com pouca experiência ou não qualificados, coachees que não estão em momento adequado para o processo, pessoas que caem no coaching sem terem o desejo do desenvolvimento por qualquer razão e desconhecimento da metodologia geram esse gap (diferença) entre expectativa e percepção do valor agregado”.

Presencial X online

Com o advento da internet, tudo ficou mais fácil. Compras, conversar com pessoas e até sessões de coaching podem ser feitas de maneira online. Mas será que o coaching virtual pode ter o mesmo resultado de um presencial? “Sempre tenho a sensação que quando se pode observar detalhes de um coachee através da aproximação pelo contato é melhor, mas já obtive ótimos resultados atendendo pessoas, inclusive fora do país, pelo Skype”, comenta Vivian, que já atendeu de ambas as formas.

Dario Neto aponta alguns problemas da forma online.

Tags: itu, emprego, mercado de trabalho, empresas, negócios, psicologia, profissão, metodologia, coaching, alta performance, mundo empresarial, métodos

  • Comentários