Cultura

Publicado: Quarta-feira, 15 de julho de 2009

"França.Br2009": Année de la France au Brésil

Conheça os laços que unem a cultura ituana e a francesa!

"França.Br2009": Année de la France au Brésil
O intercâmbio cultural entre o Brasil e a França desperta interesses
Por Camila Bertolazzi e Guilherme Martins
 
Aprofundar relações, trocar experiências, conhecer culturas diferentes, acumular conhecimento. Essas são algumas das propostas do Ano da França no Brasil, que foi aberto oficialmente no dia 21 de abril e será encerrado em 15 de novembro deste ano.
 
Chamado de “França.Br 2009” e lançado pelos presidentes dos dois países, o ano da França no Brasil contará com centenas de eventos como exposições, shows, concertos, ciclos de cinema, seminários e festivais, que estão sendo realizados em todo o território nacional, e tem como objetivo conhecer as manifestações artísticas de outro país, realizando um intercâmbio sem sair do país.
 
“O Ano da França é importante para o aprofundamento das parcerias franco-brasileiras e para a consolidação das relações bilaterais nas diferentes áreas, tanto do ponto de vista cultural, como na área comercial, universitária e econômica”, afirma a brasileira Olga Sodré, que morou 14 anos na França, e atualmente vive em Itu.
 
Brasil, Brasis
 
Através do “França.Br 2009”, o Brasil torna-se o único país da América Latina a fazer reciprocidade, já que 2005 foi o ano do Brasil na França, intitulado “Brasil, Brasis”.
 
A psicóloga Olga Sodré – filha de ituana – foi uma das palestrantes no simpósio “Imagens do Inconsciente”, quando analisou a revolta dos adolescentes na França e apresentou aspectos particulares sobre a situação no Brasil: A Influência do Tráfico sobre a Juventude nas Favelas. Leia mais!
 
Com resultados surpreendentes, o evento mobilizou mais de 15 milhões de pessoas, com centenas de atrações realizadas em todo o território francês, que trouxeram impactos diretos não só para o intercâmbio cultural, mas também para as trocas comerciais entre os dois países. Na ocasião, registrou-se aumento de três vezes no volume de negócios entre França e Brasil. Houve também um aumento de 27% de turistas franceses no Brasil, além do crescimento de 20% nos cursos de português no país europeu.
 
“Com o França.Br 2009, pretendemos estimular esses impactos para que não só a cultura venha a ganhar, mas o país como um todo, com resultados importantes em sua economia e nas diversas dimensões de intercâmbio que venhamos efetivar”, afirma o ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil.
 
Programação Oficial
 
Foram chancelados cerca de 700 projetos ao longo de quatro reuniões do Comitê Misto composto pelos Comissariados Brasileiro e Francês.
 
Dentre as atividades previstas estão, em Brasília, no dia 07 de setembro, a apresentação da Patrouille de France e um espetáculo de iluminação dos prédios históricos da capital; os festivais de Ópera de Manaus, o Festival Mundial de Circo de Belo Horizonte, uma homenagem especial à França no Festival de Música Clássica de Campos do Jordão, um show de música francesa e africana no Maranhão, a inauguração do Centro de Música Negra de Salvador, além do espetáculo pirotécnico do Groupe F na Lagoa Rodrigo de Freitas.
 
Outro projeto aprovado é o da "Caravana Musical do Musette", projeto de música que passará por 15 cidades brasileiras apresentando a história da música popular francesa, desde sua origem (na cultura urbana parisiense do início do século XX) até dias atuais, com as releituras de jovens músicos.
 
 
Esses projetos têm como objetivo mostrar ao público o melhor da França contemporânea, com sua diversidade cultural e crescente abertura para a África, o Caribe, os países árabes e a região Amazônica.
 
Franceses em Itu
 
Apesar de não sediar nenhum evento comemorativo do “França.Br 2009”, Itu traz na sua história importantes acontecimentos que a unem a cultura francesa.
 
O relato mais conhecido da presença de franceses em Itu surge com a chegada das Irmãs de São José, em 1858, vindas da cidade de Chambéry, para fundar o tradicional colégio Nossa Senhora do Patrocínio. Entre as seis missionárias estavam Madre Maria Theodora Voiron, que teve a vida marcada por grande trabalho voltado à educação feminina católica e à formação de quadros para o exercício do Magistério.
 
A principio, a educação era o foco principal das missionárias na cidade. Mas posteriormente as religiosas passaram a atuar nas áreas da saúde e assistência social. Durante o ano passado, vários eventos foram realizados para comemorar os 150 anos da chegada das Irmãs de São José de Chambéry a Itu. Além disso, foi assinado um convênio internacional com a cidade francesa para que ambas se tornem “cidades irmãs”. O objetivo é aproximar ainda mais os dois municípios.
 
Ao longo da segunda metade do século XIX, muitas mudanças ocorrem na economia brasileira e a partir delas também há reflexos na política e na cultura da elite, modificando diversos aspectos da cidade. Segundo o Mestre em História, Luís Roberto de Francisco, esse espírito ituano de transformações e de abertura para novas tendências culturais despertou interesse em um arquiteto francês, que, na d&eacut
Comentários

Ariza Centro Veterinrio