ponto-turístico-igrejacarmo
Pedro de P. L. Aguiar
Pedro de P. L. Aguiar E-mail E-mail

Entendendo o mundo fitness

Graduado em Educação Física pelo Ceunsp; Pós-graduado em bioquímica, fisiologia, treinamento, nutrição desportiva pela Unicamp; e Pós-graduando em fisiologia do exercício com ênfase em envelhecimento, saúde e doenças na USP.

Estilo de vida X Fatores de riscos

Publicado: Domingo, 14 de agosto de 2016


 

De acordo com os dados levantados e obtidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), dentre as principais causas que levam ao aumento de mortes, podemos atribuir diretamente a cinco fatores de riscos responsivos, que são estes: obesidade, sedentarismo, hiperglicemia (excesso de glicose circulante na corrente sanguínea), tabagismo e hipertensão arterial. Além desses achados, a literatura confirma um acréscimo atual no número de pessoas acima do peso ideal, associando essa relação com o estabelecimento e surgimento das doenças crônicas não transmissíveis, como as patologias cardiovasculares, Diabetes Mellitus tipo 2, câncer e doenças respiratórias (WHO, 2009).

A forma mais apropriada, segundo os estudiosos, é intervirmos diretamente reduzindo os fatores de riscos, como adoção de condutas retratadas abaixo, que auxiliam no controle e atenuação dessas problemáticas relacionadas à obesidade, sedentarismo, glicose circulante elevada, tabagismo e níveis pressóricos aumentados. Podemos destacar como o principal fator positivo a mudança no estilo de vida que compreendem, com uma adequação da dieta alimentar reduzindo a ingestão excessiva de gordura e açúcares (que alimentam as células cancerígenas e são inflamatórios ao organismo), sal e bebidas alcoólicas, fumo, estresse cotidiano (aumentam os hormônios relacionados ao estresse e surgimento de doenças cardíacas), com a inserção de hábitos relaxantes, como: meditação, exercício físico regular, psicoterapia, filmes, leituras prazerosos,  melhora da qualidade do sono auxiliando na reparação física e mental e a socialização com pessoas agregadoras, sendo estes meios terapêuticos, não farmacológicos, que contribuem quando realizados de forma sistemática e contínua.

 

Sucesso em sua jornada!

 

Prof. Esp. Pedro de Paula Leite Aguiar

 

Ref. Bibliográficas:

Kallings LV, Sierra Johnson J, Fisher RM, Faire Ud, Stahle A, Hemmingsson E, Hellenius ML. Benefical effects of individualized physical activity on prescription on body composition and cardiometabolic risk factors: results from a randomizes controlled trial. Eur J Cardiovas. Prev Rehabil, 2009 Feb; 16 (1) 80-4.

Organização Mundial da Saúde (OMS)

Colégio Americanode Medicina do Esporte (ACMS)

 

 

  • Comentários