ponto-turístico-orelhao
André Roedel
André Roedel Facebook Facebook Twitter Twitter Blog Blog E-mail E-mail

Cinerama

André Roedel é formado em Jornalismo, repórter do Itu.com.br e apaixonado por cinema, séries de TV, quadrinhos, tecnologia e futebol. Neste espaço, analisa os filmes que assiste no dia a dia.

Frozen - Uma Aventura Congelante

Publicado: Terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Foto
A boa construção dos personagens é um dos pontos positivos de Frozen

O primeiro filme visto no cinema em 2014 foi Frozen – Uma Aventura Congelante, nova animação da Disney. O estúdio que criou o camundongo Mickey brinda o mundo com mais uma excelente produção, cheia de música, magia e diversão. Baseado no conto de fadas A Rainha da Neve, do dinamarquês Hans Christian Andersen, Frozen acerta ao transpor para a telona elementos que agradam crianças e adultos.

No filme, a destemida e otimista Anna se junta ao rude homem das montanhas Kristoff e a sua leal rena Sven em uma jornada épica, enfrentando condições iguais às do Everest, criaturas místicas e um engraçado boneco de neve chamado Olaf em uma corrida para encontrar Elsa, a irmã de Anna, cujos poderes congelantes prenderam o reino de Arendelle em um inverno eterno.

Com uma grande reviravolta no fim, o roteiro do filme acerta no momento de introduzir novos personagens (como o boneco de neve dublado pelo humorista Fábio Porchat) e o clímax da trama, fazendo com que nada soe forçado (ponderando, claro, que se trata de uma ficção) ou mesmo decepcionante. Além disso, traz duas princesas padrão Disney (Anna e Elsa) que prometem fazer sucesso entre as meninas.

Como não pode faltar num filme da empresa, a música está constantemente presente. Praticamente todos os personagens participam de algum número musical, o que particularmente acho forçado. Mas até mesmo esse recurso é bem explorado, sendo usado em momentos propícios – sem contar que as músicas são boas e bem interpretadas.

Sem cair em certos clichês decorrentes em produções da Disney, Frozen traz duas personagens femininas de personalidades fortes que não dependem da mítica – e machista – figura do “príncipe encantado”, sendo capazes de, não dependendo muito ajuda de personagens masculinos, resolver a questão principal do filme. Com um visual incrível e técnicas de animação bem-executadas, a obra é obrigatória para as férias.

PS: Como já é tradição, antes do filme principal há um curta-metragem animado bem legal com Mickey, Minnie e sua trupe, que brinca com as diferenças entre o 3D e o 2D, além de outros avanços do cinema. Me arrependi de ter visto o filme em 2D...

Tags: frozen, cinema, filmes, disney, animação, infantil

  • Comentários