ponto-turístico-museurepublicano
Jocymara S. A. Raymundini
Jocymara S. A. Raymundini E-mail E-mail

Cuidando dos dentes

Cirurgiã-dentista graduada pela USP-Rib Preto; Ortopedia Funcional dos Maxilares; Disfunção de ATM e Dor orofacial Diretora Clinica da Oral Line, em Itu.

"Meu filho range os dentes quando está dormindo!"

Publicado: Sexta-feira, 4 de julho de 2008

“Meu filho range demais os dentes quando está dormindo! O que fazer?”
 
Esta é uma preocupação que muitos pais têm hoje em dia. O relato é de um barulho angustiante que parece estar triturando fragmentos duros, mas no caso são os dentes.
 
O que será que está acontecendo?
 
Isto se chama “bruxismo”. É uma parafunção oral de causa multifatorial, que pode comprometer de diferentes maneiras o sistema estomatognático (mastigatório). Pode estar relacionado a hábitos inadequados como morder lábios e/ou objetos, roer unhas, interferências dentais, interposições linguais, parasitas do sistema gastrointestinal, deficiências nutritivas, distúrbios endócrinos, alergia, estresse emocional ou ansiedade.
 
Ele acomete tanto crianças quanto adultos, ocorre mais à noite, mas pode acontecer durante o dia também, quando o indivíduo estiver em uma atividade que necessite de mais concentração, e sem perceber começa a apertar ou ranger os dentes.
 
Quais os seus efeitos negativos?
 
Desgaste anormal dos dentes, dores de cabeça, dentes sensíveis, desequilíbrio na função mastigatória, diminuição do espaço “vertical” para os dentes permanentes devido ao desgaste dos dentes decíduos (de leite), alterações no crescimento facial das crianças, dores de cabeça e nas ATMs (articulações têmporo-mandibulares).
 
Como podemos tratá-lo?
 
Dependendo do diagnóstico, o tratamento é multi-disciplinar: odontologia, pediatria, homeopatia, psicologia, fisioterapia.
 
Dentro da minha especialidade, que é a Ortopedia Funcional dos Maxilares, prescrevo um aparelho, de uso noturno, que é confeccionado provocando uma mudança de postura terapêutica na mandíbula, que vai, além de impedir o contato dentário, provocar mudanças na posição dos dentes, que favorecerão o equilíbrio da função mastigatória e a harmonia do crescimento e desenvolvimento facial. Assim, podemos amenizar bastante as conseqüências.
 
Mas apesar do tratamento ortopédico funcional dos maxilares ser uma boa maneira para lidar com o bruxismo, ele não é uma cura. É importante reavaliar o que pode estar contribuindo para potencializá-lo, tentar “tirar o pé do acelerador” , viver com mais tranqüilidade e SER FELIZ!!!
  • Comentários