Colunistas

Publicado: Domingo, 29 de setembro de 2019

New York

Crédito: imagem - Cristina Gimenes New York


 

 

New York

 

Densa, intensa, surreal,
Vida em frenesi sem par,
Pode alguém te decifrar?
Dos negócios, mundial,
Nova Iorque, és capital,
Galáxia ou planetoide
Registrada em celuloide,
Tesouros geras de Ofir,
Ousarei te definir:
Tu és pólis em esteroide!

 

Tua arte e tua história
Não precisam de elogio,
Com pujança e poderio
Conquistaste imensa glória
De monumental memória;
Honra e fama amealhaste
Por riquezas e contrastes,
Da loucura racional
À liberdade social:
Não há quem de ti se baste!

  


Comentários

É Tempo de Poesia

George Gimenes

George Gimenes

Formado em Engenharia Elétrica pela Unicamp, poeta por vocação, publica online no "Recanto das Letras" e em seu blog "O Engenheiro Que Virou Poeta". Possui também publicações em livro solo e em antologias. Natural de Itu, reside com sua esposa no Canadá.

Arquivo

17 dias atrás

New York

31 de agosto de 2019

Andorinhas

9 de agosto de 2019

Mãos Procuram-se

23 de maio de 2019

Saudade Sem Saída

12 de maio de 2019

Mãe Inexplicável

Ariza Centro Veterinrio