Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 23 de maio de 2019

Saudade Sem Saída

Crédito: www.kcur.org Saudade Sem Saída

 

 

Saudade Sem Saída 

 

A saudade é uma avenida,
Não tem curva nem sinal,
Não tem uma placa "Pare",
Nem tampouco transversal;
Quando a gente nela adentra
Nostalgia experimenta
Desde o início até o final.

 

É viagem surreal,
Desafia o entendimento...
Causa dor inexplicável
E embaralha o pensamento;
Não há como se iludir,
Todo mundo quer sair
Dela, nem que só um momento.

 

Esse banzo sentimento,
Vezes chega à depressão,
Cresce ao longo do caminho
Sem um "mas", ou um senão;
É uma insólita jornada,
Flecha amarga bem cravada
No centro do coração.

 

Via de única mão,
Seu veredito é cabal;
Resta ao pobre viajante
Ser paciente, afinal
Quem provou, sabe, na vida,
A saudade é uma avenida,
não tem curva nem sinal.

 

 


 

N. do A.:  inspirado num comentário de Raimundo Nonato Lisboa, que elaborou
               "... a saudade é uma avenida onde não tem nem curva nem sinal."

 


 

Comentários

É Tempo de Poesia

George Gimenes

George Gimenes

Formado em Engenharia Elétrica pela Unicamp, poeta por vocação, publica online no "Recanto das Letras" e em seu blog "O Engenheiro Que Virou Poeta". Possui também publicações em livro solo e em antologias. Natural de Itu, reside com sua esposa no Canadá.

Arquivo

23 de maio de 2019

Saudade Sem Saída

12 de maio de 2019

Mãe Inexplicável

21 de abril de 2019

Provérbio do Amor

14 de abril de 2019

Agravada Ofensa

25 de março de 2019

Primavera ao Norte