Colunistas

Publicado: Terça-feira, 10 de outubro de 2017

Nome na barra do vestido: Superstição ou Tradição?

Crédito: Khennedy Paloma Nome na barra do vestido: Superstição ou Tradição?
Nem o nome da cerimonialista escapou da barra da noiva

Existem algumas superstições ou tradições quando se trata de casamento. Tem aquelas que fazem porque acreditam na sorte e tem as que fazem, mas na verdade nem sabem o significado real e faz por achar legal, engraçado, criativo e divertido.

O nome na barra do vestido é uma das alternativas que a noiva faz para ajudar as amigas solteiras a terem a mesma sorte que ela, encontrando seu príncipe encantando.

Na verdade, não sabemos ao certo se é uma tradição ou superstição mas é uma brincadeira que alegra o grande dia. Há quem acredita que dá certo, o jeito é não duvidar. Acho que tem ajudado viu? já que a moda conquistou várias adeptas no Brasil. A tradição é baiana, mas não sabemos a sua origem. Porém, acredita-se que colocando os nomes das amigas na barra trará muita sorte para que elas também encontrem alguém especial, e que sejam muito felizes no casamento!

Não existe uma regra de quantidade de nomes, mas pelo costume deve-se colocar na parte da frente da barra e pode ser feito de várias formas desde que o nome esteja escrito em cor preta. Os nomes podem ser escritos apenas com uma caneta esferográfica ou bordado simples, com tons claros, para que não fiquem aparentes no tecido do vestido. Fica lindo! Mas se a peça for alugada ou você tem medo de estragá-la, pode escrever em etiquetas com colante ou fitas adesivas e é só fixar na barra. Uma outra alternativa é pedir para que cada amiga escreva seu nome em um pedaço de fita de cetim branca para colocar os nomes presos com alfinetes ou um pontinho de costura simples no dia do casamento.

Se dá sorte, se é superstição ou tradição a gente não sabe, mas para aqueles que acreditam, boa sorte e quem acredita, sempre alcança!

Comentários

Realizando sonhos

Fernanda Mariáh

Fernanda Mariáh

Formada em Jornalismo com pós-graduação em Gestão de Pessoas. Atuou por seis anos como assessora de imprensa, e migrou para a área de eventos. Há quatro anos é organizadora de festas como casamentos, bodas, aniversários, batizados, corporativos e outros.

Arquivo