Colunistas

Publicado: Terça-feira, 15 de maio de 2018

Marx, Boff e Lula

Crédito: Montagem/Internet Marx, Boff e Lula
Nada de bom vem do Comunismo criado por Marx. Oremos!

Há alguns dias completaram-se os 200 anos de nascimento de Karl Marx, o criador do infame Comunismo que já matou mais de 100 milhões de pessoas pelo mundo afora. Poucos lembraram de comemorar a data. Nem a esquerda festiva ou os socialistas de Iphone gastaram tempo com isso. Só mesmo o venezuelano ditador Maduro é que não esqueceu de saudar aquele que nunca foi economista e nem sociólogo. Com muita boa vontade, podemos classificar Marx como um filósofo. Estava mais para um “pensador”. Mas de que adianta um ser pensante cheio de pensamentos ridículos na cabeça?

 

Todas as teorias e previsões de Marx estavam erradas e ele morreu sabendo disso. Sua única alternativa foi então disseminar o ódio como elemento para mudar as estruturas, fazendo uma “revolução”. A verdade é que todos os países em que as teorias marxistas foram ou estão sendo aplicadas transformaram-se em regimes totalitários, inimigos da liberdade e do bem-estar humano. Uma lista de nações nas quais o Comunismo deu certo simplesmente não existe. O marxismo causou tragédias sociais e mortes em vários lugares, como é o caso de Rússia, China, Cuba, Coréia do Norte, Venezuela, o lado oriental da antiga Alemanha dividida, etc.

 

Caso estivesse vivo, Marx seria hoje uma piada ambulante e prato cheio da mídia fakenews sensacionalista. Seu legado só trouxe morte e destruição. Aquele que passou a vida condenando o capitalismo agora tem seu túmulo visitado em Londres aos que pagarem ingresso. Será que ele está se revirando no túmulo por causa disso? Creio que não, senão o ingresso seria mais caro...

 

Leonardo Boff foi um dos que aderiu com firmeza aos ideais marxistas e cometeu a heresia de misturar as idéias de Marx com os ensinamentos do Evangelho. Ambos são como água e óleo, simples assim. Antes de militar pela tal Teologia da Libertação, já condenada oficialmente pela Igreja, o então Frei Leonardo foi até mesmo considerado um bom teólogo e escritor. Li alguns de seus livros e alguns chamam mesmo atenção de forma positiva.

 

Infelizmente Boff deixou-se levar, sinal de que nem sempre inteligência significa sabedoria. Aos poucos preferiu a utopia comunista em vez da esperança cristã, trocando a doutrina de Cristo pela ideologia de Marx. Pediu afastamento do sacerdócio (não foi “expulso” pela Igreja) e hoje não exerce funções espirituais. Não é padre, não é pastor, nada. Afastou-se, por própria conta, da videira que é Cristo e tornou-se um ramo seco. Ainda escreve, mas não há realmente idéias que prestem. É só um tal de saudar Gaia (a Mãe Terra) e de ficar pregando a utopia marxista.

 

Mesmo não sendo sacerdote católico há décadas, Leonardo Boff teve autorização da Justiça para visitar o ex-presidente Lula e dar-lhe “assistência espiritual” na cadeia. Nada mais patético! Há vídeos circulando pela internet nos quais o presidiário ilustre, como Lula é conhecido em Curitiba (PR), afirma descaradamente como utilizou a boa fé dos católicos como massa de manobra para os seus planos político-partidários. Que precise de assistência espiritual, não nego. Mas que fosse com um padre, pastor ou líder religioso de verdade, não com um de mentirinha...

 

O triste fim de Lula é parecido com o de Karl Marx, cuja história ele mesmo não deve conhecer. Também é um final semelhante ao de Boff, que tinha tudo para ser um grande líder católico e hoje é apenas um arremedo sem graça do que poderia ter se tornado. O ex-presidente, cada vez mais esquecido na carceragem, continua refém de sua megalomania. Do lado de fora não houve nenhuma comoção nacional em seu favor, apenas o fanatismo de meia dúzia de asseclas alienados.

 

A triste trajetória de Lula, enfim, revelou-se tão mentirosa quanto as promessas que fez ao povo brasileiro e aos que nele tantas vezes votaram (este tonto aqui inclusive). Sua biografia não será esquecida de vez. Pior que isso: será sempre lembrada como um erro, um fiasco, o maior engodo já testemunhado na política brasileira. Nunca antes na história desse país um líder político foi causa de tanta esperança e de tanta decepção.

 

Como prova a realidade prática, nada de bom vem do Comunismo criado por Karl Marx. Nem mesmo o próprio criador beneficiou-se da sua cria. Quem tentou misturar ideais marxistas com o Evangelho se deu mal, sendo condenado oficialmente pela Igreja e também não recebendo o apoio dos fiéis. A única revolução que os católicos desejam é a do Amor, que só acontece via oração, conversão e ação na vivência dos valores ensinados por Cristo. Alguém precisa levar essa dica para o ex-presidente na carceragem curitibana. O chamado desafiador é para que todos nos convertamos ao Evangelho, inclusive ele.

 

Marx tirou da sua cabeça doentia um monte de idéias que até hoje infernizam o mundo. Boff preferiu acreditar mais nas idéias marxistas do que no Evangelho de Jesus Cristo. Lula foi além: disse ser ele mesmo uma “idéia”, por mais estapafúrdio que isso seja...

 

Oremos! Ainda há tempo para a conversão de Boff e Lula, pois para Deus nada é impossível. Para Marx, já não há mais tempo: está entregue à Misericórdia Divina que passou a vida negando, contrariando e tentando destruir.

 

Deus nos livre do marxismo!

 

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é seminarista na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Simplício: Um Contador de Histórias - Vida e Obra de Francisco Flaviano de Almeida".

Arquivo

5 dias atrás

Marx, Boff e Lula

15 de abril de 2018

Você Presta Pra Quê?

2 de abril de 2018

O Dia da Verdade

14 de março de 2018

Hawking e seu erro sobre Deus