Colunistas

Publicado: Terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Horóscopo do Torcedor - Parte II

Horóscopo do Torcedor - Parte II
Fonte: UOL Esporte.

Assim como a nossa personalidade, nosso time de futebol é totalmente uma influência do meio em que vivemos e crescemos. Digamos que podemos chamar isso, no horóscopo, de nossos ascendentes. Não somos exatamente iguais a eles, mas temos grandes influências em traços bem característicos.

Dificilmente encontraremos numa família de corintianos (e falo família, aqui nesse primeiro momento, como a parte mais próxima como mães, pais e irmãos) um palmeirense e vice-versa. E veja que, numa casa onde os pais são calmos, temos mais chance dos filhos também seguirem essa linha de personalidade, pelo menos até uma “parte” da vida.

E essa “parte” que existe na vida de muitas pessoas, aquele ponto que percebemos que não somos nossos pais, que temos nossos próprios pensamentos e vontades, plantam dúvidas em nossas cabeças que nos deixam até envergonhados. Afinal... Imagine só, você torcedor se questionar: “Será que torço mesmo para esse time que minha vida inteira eu torci?”.

Claro que, apesar dessa pergunta passar como um flash nas nossas cabeças, o torcedor de verdade reconhece quando é realmente. E quem muda de time, assim como essa juventude que vem por aí torcendo por times europeus, nunca foi torcedor de verdade ou viveu a experiência do futebol por completo e verdadeiramente.

Mas, recentemente, em experiências pessoais vi muitos traços da minha personalidade congruentes com a história de times que não torço e que são rivais do meu. E isso principalmente por uma das bases que citei que compõe meu macro universo: a política. 

Tenho dois ídolos do futebol que não jogaram no meu time: Sócrates e Casagrande. Dois grandes amigos que juntos, além de desfilarem um belíssimo futebol, fora dos campos eram ativos em movimentos democráticos do nosso país que foram muito importantes. Essa consciência dos dois e essa voz que ambos resolveram levantar, tornando o futebol um instrumento de propagação de ideias que levaram o nosso país a não ter um final trágico, me atraem demais. E eu chego a me questionar como seria se, eu tivesse nascido numa época diferente e com diferentes pais.

Além do mais, voltando à história politica recente do país, vejo jogadores e personalidades do time que torço posicionando-se de acordo com posturas que meu time, historicamente, deveria ser contra. E muitas coisas piores e em momentos muito inadequados.

Para não me alongar mais, aviso que concluirei na semana que vem essa definição da identidade do clube com o torcedor. Aguardem.

Comentários

Deixa eu pensar

Marcelo Sandy

Marcelo Sandy

Marcelo Sandy é um jovem ituano, palmeirense, aspirante a cronista. Escreve textos reflexivos que levam os leitores a pensar sobre diversos temas. Seu foco principal são as crises existenciais do ser humano.

Arquivo