Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Valorize o semelhante

Sétimo Domingo do Tempo Comum.

20 de fevereiro. 2011.

Ainda, pela terceira semana consecutiva, o capítulo 5 de Mateus, página alta das escrituras.

Com os versículos de 38 a 48, encerra-se hoje este ciclo.

*     *     *     *     *

“”  Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

 “Vós ouvistes o que foi dito: `Olho por olho, dente por dente!`

Eu, porém, vos digo: não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele!

Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado. Vós ouvistes o que foi dito: Àmarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!`  Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que te perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos nào fazem a mesma coisa? Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.  “”

*     *     *     *     *

Página elevada, assim é visto e considerado o capítulo 5 de Mateus que, por sinal, põe na primeira pessoa as palavras, com o próprio Jesus a falar.

Transpor tais ensinamentos para o convívio da sociedade atual é quase uma quimera. Foram proclamados no entanto numa época em que as relações se faziam quase sempre de uma forma e meios assaz rudes.

Sem derrogar práticas do testamento antigo, não faz Jesus senão dotás-la de forma mais humana e a minorar tanta dureza de coração. 

Serve-se da comparação dos modos antigos em contraposição com uma lei nova, a de que prepondere sempre o coração, o afeto e o desprendimento entre as pessoas.

Aconselha também calma e prudência na imposição de castigos e reprimendas, porque a ninguém é dado impor-se como melhor perante os outros. Quem não capitula às vezes em equívocos e fraquezas?

Parece que se pede o impossível ao se recomendar que o homem ame seus inimigos e reze por intenção de quem o persiga. Entretanto, em assim não fazendo, nenhum mérito acumula ele por somente querer bem a quem lhe seja simpático, numa mera e inconsequente “troca” de favores. O termo “troca” vai assim assinalado, entre aspas, para mostrar a mesmice em que resultam amizades de interesse.

Não passem mais os transeuntes sem que, de sua parte, lhes faça um cumprimento. Dirija um olhar amigo a todos que encontre, sejam quais forem, e se habitue a um cumprimento cordial a todos quantos se lhe cruzem nos caminhos da vida.

Valorize o semelhante, independentemente de conhece-lo ou não.

                                                                                                           João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio