Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Um rapaz louro de olhos azuis

Sumiko de vestido novo, maquiagem caprichada, exibia sua beleza oriental vendendo artesanatos em uma feira.

Era o seu primeiro Natal em Londres, muito diferente dos natais de sua infância numa cidadezinha chinesa.

Lá na sua pequena cidade como nas demais comunidades chinesas o dia de Natal era um dia em que todos vestiam sua melhor roupa, comiam o que tinham de mais apetitoso, enfeitavam a casa com artesanatos feitos por eles mesmos e o Dum Lhe Do Ren, bom velhinho, tão bonzinho quanto o nosso Papai Noel deixava um presentinho para as crianças que penduravam suas meias na Arvore de Natal.

A história do Menino Jesus era contada ás crianças como uma lenda, pois não eram cristãos Tudo era muito singelo, evidenciando a sua pobreza e simplicidade.

Em Londres, ao contrario, tudo era exuberante. rico. majestoso e ela não cansava de admirar tudo que a rodeava de uma maneira muito especial os londrinos, "louros de olhos azuis".

Sentia uma ponta de remorso ao lembrar-se de Ivan, o namoradinho que ficara na China. Era tão apaixonado por ela! Suplicou-lhe que ficasse lá, que se casasse com ele, que o fizesse feliz.

Ela gostava dele, mas não ao ponto de abdicar da emocionante experiência de viver na maior e mais importante cidade do Mundo. Se ele viesse para a Inglaterra, quem sabe daria certo o casamento. Ali era tão fácil ganhar dinheiro fazendo o mesmo que fazia na China e ganhando muito mais,

Mas, será que ela queria mesmo isso? Acho que não! Preferia um inglês, mas, será que haveria um belo inglês “louro de olhos azuis” a fim de se amarrar a uma chinesinha pobre feito ela?

Absorta em seus pensamentos distraiu-se, tropeçou e só não foi ao solo porque alguém a amparou, um belo rapaz “louro de olhos azuis”.

Desculpas, o rapaz se põe a olhar as peças expostas, escolhe um cinzeiro, paga e lhe diz.

-- Acabei de comprar um numero da rifa de uma boneca. Fica com ele. Se for sorteado a boneca é sua.

-- Que bom! Eu adoro bonecas!

-- Mas, não tenha tanta certeza. Eu não tenho sorte com sorteios. Nunca fui premiado!

-- Mas, desta vez o será. E eu vou guardar essa boneca com muito carinho.

-- Vamos fazer um pacto? Se for premiada você se casa comigo?

Sumiko sabia que era brincadeira, já ouvira galanteios bem mais ousados e tivera que contemporizar, caso contrário não conseguiria vender nada.

--Combinado!

Os dois riram e ele afastou-se se perdendo entre os transeuntes.

Mas a garota não conseguiu esquecer o belo londrino “louro de olhos azuis”, ainda mais quando momentos depois ouviu chamar o seu numero da rifa. Ganhara a boneca!

E a segunda parte do acordo?

É claro que ele esqueceu logo, mas ela guardou para o resto de sua vida a lembrança daquela noite de encantamento e a boneca que ganhou do maravilhoso rapaz “louro de olhos azuis”.

Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida