Colunistas

Publicado: Terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Um precursor veemente

Um precursor veemente

 

2º. DOMINGO DO ADVENTO – 4.12.2016

Liturgia do Ano “A”, de Mateus

Evangelho segundo Mateus, 3, 1-12

...............................................................................................................................

“”    Naqueles dias, apareceu João Batista, pregando no deserto da Judeia:

“Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo”.

João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse:

“Esta é a voz daquele que grita no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas!”

João usava uma roupa feita de pelos de camelo e um cinturão de couro em torno dos rins; comia gafanhotos e mel do campo.

Os moradores de Jerusalém, de toda a Judeia e de todos os lugares em volta do rio Jordão vinham ao encontro de João.

Confessavam os seus pecados e João os batizava no rio Jordão.

Quando viu muitos fariseus e saduceus vindo para o batismo, João disse-lhes:

“Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou a fugir da ira que vai chegar? Produzi frutos que provem a vossa conversão.

Não penseis que basta dizer: ´Abraão é nosso pai´, porque eu vos digo: até mesmo destas pedras Deus pode fazer nascer filhos de Abraão.

O machado já está na raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será cortada e jogada ao fogo.

Eu vos batizo com água para a conversão, mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu.

Eu nem sou digno de carregar suas sandálias.

Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. Ele está com a pá na mão; ele vai limpar sua eira e recolher seu trigo no celeiro; mas a palha ele a queimará no fogo que não se apaga”.    “”

...............................................................................................................................

Caminha-se neste e nos próximos dias pela estrada de tempos novos do Advento, que antecedem o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Dos gritos de João no deserto, inflamado do amor ao Mestre, chegaram os primeiros avisos de uma nova era e que tudo se iniciaria por um batismo efetivo com o Espírito Santo e com fogo, oriundo do próprio Jesus, diferente do dele, João, apenas de água.

João Batista esprobou a dissimulada crença dos fariseus, com veemente coragem, a ponto de compará-los a víboras.

É de João a insigne e proverbial jaculatória, que explicita sua fidelidade a Jesus:

“Eu nem sou digno de carregar suas sandálias”!

Amém.

Deus seja louvado.

          João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

18 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio