Colunistas

Publicado: Sábado, 3 de julho de 2010

Um dever de todos

Festa de São Pedro e São Paulo

Domingo, 4 de julho.

Evangelho de São Mateus, Capítulo 16; versículos de 13 a 19.

..............................

 

“”  Naquele tempo, Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos:

“Quem dizem os homens ser o Filho do homem?”

Eles responderam:

“Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros, ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.

Então Jesus lhes perguntou:

“E vós quem dizeis que eu sou?”

Simão Pedro respondeu:

“Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

Respondendo, Jesus lhe disse:

“Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. Por isso eu te digo que tu és Pedro e sobre essa pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. Eu te darei as chaves do reino dos céus; tudo o que ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

..............................

 

Duas semanas atrás, domingo, 20 de junho, o mesmo assunto do evangelho de hoje, agora por São Mateus, viera relatado por Lucas (9, 18-24).

Ocorre que, se comparados os dois textos, Mateus se estende um pouco mais na resposta de Jesus a Pedro.

Justamente para assegurar ao impetuoso apóstolo que, além de seus arroubos era homem por demais rude e simples, que a ele, Pedro, seriam confiados todos os poderes de condutor da Igreja fundada por Jesus. Iria passar-lhe “as chaves do reino dos céus”.

No plano sucessório dos Sumos Pontífices, portanto, chega-se ao Papas de todas as épocas e, consequentemente, até Sua Santidade, Bento XVI.

Imagine-se que se assim não fosse, onde o Papa iria haurir forças para a exortar suas ovelhas à prática das virtudes e do temor de Deus, no mundo desordenado dos dias de hoje.

Nunca desanimem portanto os cristãos, porque jamais as tramas do maligno poderão se sobrepor à Igreja de Cristo. Promessa e garantia dele.

Isso, contudo, não libera ninguém em particular do necessário cuidado com sua própria vida espiritual, eis que, mesmo auxiliado por socorro divino, é bom ter em mente que o maligno é ardiloso e insistente.

Na festa de São Pedro e São Paulo, cumpre implorar desses vanguardeiros de Cristo a alegria que neles sobrou na missão evangelizadora. Eles disseminaram a mensagem nova ao divulgar e expandir o nome de Jesus que traziam no coração. Agora, pois, abram os fiéis o seu, se nele também mora Jesus e saiam por aí a proclamar o nome do Mestre.

Mais do que tempo.

Um dever de todos.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

22 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio