Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Trump Eleito - Como A Grande Mídia Enganou Você!

Crédito: Internet Trump Eleito - Como A Grande Mídia Enganou Você!
Alguém enganou você... e não foi Donald Trump.

Algumas pessoas acordaram esta manhã com a sensação de que foram enganadas. A eleição de Donald Trump não era algo impossível? A Sra. Clinton não era a queridinha da América? Pois é. Muitos foram enganados, mas não por Mr. Trump! Caíram no conto de fadas moderno chamado "grande mídia norte-americana", contado de forma competente (até agora) pelos esquerdistas dos EUA. O candidato republicano, tachado de "racista" e "machista", foi o mais votado entre os negros e as mulheres com curso superior, saindo vencedor em 29 dos 50 Estados.

Durante essa longa campanha eleitoral a Sra. Clinton sempre apareceu nas pesquisas com ampla vantagem. Assim foi até as últimas semanas, quando Trump começou a empatar até virar o pleito. Teria sido mesmo assim? Essa vantagem da democrata existiu realmente ou foi algo que a mídia norte-americana contou de caso pensado?

Nos EUA apenas 6 grupos controlam a chamada "grande mídia", pautando conteúdos de jornais, sites, revistas, rádios, televisões, propagandas, etc. Acontece que os controladores da mídia norte-americana são todos claramente pró-Democratas e seu principal trabalho durante as eleições foi demonizar o excêntrico Trump.

Não funcionou. Para além de qualquer realidade fabricada ou sugerida pelos meios de comunicação social, está a realidade prática. O cotidiano da maioria dos norte-americanos não está nada bom. Milhões de pessoas lidam com a recessão e o desemprego. Empresários e industriais vêem seus negócios irem de mal a pior devido a fatores internos e externos da economia. O atual EUA está muito longe do grande país que foi no passado recente. "Make America Great Again" (Tornar a América Grande Outra Vez) foi o lema de campanha de Trump que calou fundo no espírito dos eleitores.

Para quem estava fadado ao fracasso, Donald Trump venceu sua adversária de lavada: foram 58 delegados a mais, num total de 276. De quebra, os Republicanos fizeram maioria no Senado (51 a 47) e na Câmara (236 a 191). O resultado é prova suficiente de que os eleitores norte-americanos estão cansados dessa brincadeira socialista representada pelos Democratas.

As reações da grande mídia gringa à eleição de Trump são de uma choradeira sem limites. Tudo indica que vai acabar, ao menos em território norte-americano, a maldita praga do "politicamente correto". Nesse contexto o choro é livre e o mimimi impera, ecoando até no Brasil. Por aqui, entre a nossa mídia 95% esquerdista, a eleição de Trump foi adjetivada com os piores e mais exagerados termos existentes. As tais reações "do mercado" também tentam passar uma falsa sensação de instabilidade econômica mundial.

Em uma coisa podemos concordar: os esquerdistas solidarizam-se uns com os outros em nível global. Parecem também estar acordando do conto-de-fadas marxista e percebendo que não estão do lado certo da história, como imaginaram. Pena é que não sabem acolher a derrota com altivez. Até mesmo o Vaticano já parabenizou Trump em nota oficial. Enquanto isso, quebrando uma democrática e polida tradição local, a Sra. Clinton negou-se a fazer o discurso público reconhecendo a derrota, desejando sucesso ao novo presidente-eleito. Que feio, Sra. Clinton!

Aqui como lá os eleitores parecem cansados dos políticos de carteirinha, que pensam apenas na próxima campanha, nos conchavos políticos, nas doações eleitorais ilícitas, nos acordos de bastidores e nos projetos pessoais. O cidadão comum parece preferir agora pessoas que tiveram certo sucesso na vida, que sabem administrar seus negócios, que não se comprometem com o modo arcaico de fazer política, que primam pela boa gestão da res publica, que possuem projetos para a população e não para si mesmos.

Nos idos da década de 1980 ninguém acreditava também em Ronald Reagan e no fim ele foi um grande presidente, lidando inclusive com o fim da Guerra Fria. Muitos hoje menosprezam Donald Trump. Mas se há uma coisa que os norte-americanos sabem fazer é provar para os outros o quanto estavam errados em seus pré-conceitos. Cabe ao Presidente Trump a obrigação de surpreender positivamente.

Para o futuro próximo, preste atenção: a grande mídia continuará insistindo no conto-de-fadas socialista, com muita demonização e xororô. Não caiam nessa. Afinal, o trabalho dos controladores da grande mídia é contar para você só aquilo que interessa a eles. Quem deseja informar-se sobre a verdade, deve buscá-la por si. Dá mais trabalho, mas pelo menos ninguém sai da história com a sensação de ter sido traído através de fábulas veiculadas interesseiramente por uma parte podre da Imprensa.

God bless America!

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo