Colunistas

Publicado: Domingo, 20 de julho de 2014

Trigo e joio não se confundem

16º. DOMINGO DO TEMPO COMUM

Julho, 20, 2014 – Liturgia do Ano “A”

Evangelho (Mateus, 13, 24-30)

.............................................................................................................

“”   Naquele tempo, Jesus contou outra parábola à multidão:

“O reino dos céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo e foi embora.

 Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram:

 ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?’

O dono respondeu: ‘Foi algum inimigo que fez isso’.

Os empregados lhe perguntaram: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’

O dono respondeu: ‘Não! Pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. Deixai colher um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!´”   “”

.........................................................................................................

O evangelho desta semana, como acontecera no domingo anterior, se apresenta aos fiéis em duas opções. No mesmo capítulo 13, a de que seja abordado tanto quanto aos seus versículos do 24 ao 30 como dos 24 aos 43.

Da mesma forma hoje, seguem apenas considerações referentes ao trecho mais resumido.

Colhe-se daí um resultado imediato.

Joio e trigo podem andar juntos, mas não se confundem.

É bem assim a humanidade.

Em todos os lugares do mundo se esfalfam os homens pela sobrevivência, todos misturados, uns por demais envolvidos pela ganância e desconsideração pelo semelhante, outros nem tanto ou até mais prudentes e sabedores de escolher caminho reto. Este, quase sempre, menos confortável.

Numa conclusão simples, portanto, é possível a cada um aquilatar em quais fileiras se encontra. Se na do joio ou do trigo.

E é bom atentar para isso porque, exatamente como prevê a parábola, o joio vai ser sumariamente queimado, enquanto o trigo, acomodado no celeiro celeste.

Trigo e joio não se confundem.

                                                                                João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

22 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio