Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Treinamento Resistido de Força Terapêutico

Treinamento Resistido de Força Terapêutico

O treinamento resistido de força, ou musculação, como mais conhecido no meio popular dentro das academias pelos praticantes engajados na arte do trabalho muscular com o emprego de sobrecargas externas, vem sendo muito discutido pelos seus inúmeros benefícios já bem estabelecidos e conhecidos pela literatura que elucida sobre os efeitos promotores na saúde geral do praticante, onde sua indicação cada vez mais vem sendo positiva e crescente pelos profissionais da área da saúde tais como médicos, professores de educação física, fisioterapeutas e psicólogos, etc.

O impulso inicial pela prática regular da musculação deve-se dar, pela intimidade que a mesma proporciona, relacionada com a força, uma vez que os movimentos corporais podem ser reproduzidos no programa de exercício prescrito pelo Profissional de Educação Física transferindo diretamente os gestos motores que fazemos nas atividades da vida diária, como agachar, levantar, subir, deslocar e descer, etc., tendo um efeito de otimização das funções dos mesmos e atenuação das repostas que induzem a fragilidade de todo nosso sistema. Uma característica favorável da musculação, é que além de conseguirmos individualizarmos o treinamento de acordo com os objetivos e reais necessidades, é permitido facilmente o controle das sobrecargas tanto musculoesqueléticas, cardiovasculares e até articulares, assegurando que o efeito do treinamento seja eficiente e seguro, proporcionando assim fácil adesão ao participante.

As implicações na promoção de saúde, com o uso de exercícios resistidos, já são bem conhecidas há vários anos, sendo bem melhor compreendida na atualidade, justificando a importância da prática de forma continua e sistemática da atividade física por todas as pessoas, especialmente pelo seu potencial de adaptação o tornando terapêutico, preventivo e indicado para reabilitação com segurança, visando promoção de uma ótima saúde e funcionalidade. Um aspecto importante é que o trabalho com pesos mais intensos são os mais eficientes para ganho de força, desempenho, melhora estética e de autonomia, porém, os exercícios mais moderados ou suaves também como conhecidos entre os praticantes possuem sua eficácia, tornando-se mais seguro aos praticantes não avançados no quesito treinamento. Evidências atuais sugerem que os exercícios resistidos da musculação sejam benéficos, pois promovem saúde geral, além de produzir a mescla de qualidades de aptidão mais adequada para a funcionalidade tornando o sujeito mais independente, sociável e menos fragilizado na totalidade, podendo se beneficiar em sua longevidade.

Comentários

Entendendo o mundo fitness

Pedro de P. L. Aguiar

Pedro de P. L. Aguiar

Graduado em Educação Física pelo Ceunsp; Pós-graduado em bioquímica, fisiologia, treinamento, nutrição desportiva pela Unicamp; e Pós-graduando em fisiologia do exercício com ênfase em envelhecimento, saúde e doenças na USP.

Arquivo