Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 17 de abril de 2014

Tempo Pascal, Tempo de Alegria

Crédito: Internet Tempo Pascal, Tempo de Alegria
Se com Cristo sofremos, com Cristo ressuscitaremos!

Durante a Quaresma nos preparamos (com jejuns, orações, penitências e conversão pessoal) para viver com intensidade a Semana Santa. Com o coração totalmente voltado para Deus, contemplamos o mistério da Paixão e Morte de Jesus para, finalmente, encontrarmos o motivo da maior alegria dos cristãos.

Sim, a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é a fonte eterna de vida e alegria que nos sustenta nesta caminhada terrestre! Fomos salvos pelo sangue do Cordeiro! A morte e o pecado não prevalecerão sobre os que colocam sua fé no poder do Cristo Ressuscitado!

No domingo de Páscoa tem início o Tempo Pascal, que termina apenas na festa de Pentecostes. São 50 dias nos quais o calendário litúrgico nos convida a proclamar com alegria a Ressurreição de Cristo e os frutos que ela traz para a nossa vida particular e comunitária, humana e espiritualmente falando.

Segundo a Sagrada Liturgia, a cor predominante no Tempo Pascal é o branco.  De acordo com a colorimetria (ciência que estuda as cores), o branco é o conjunto combinado de todas as cores existentes. Ou seja, o branco reúne em si toda a luz possível. Esta luz nos lembra o Cristo Luz de todas as coisas. Além disso, a cor branca nos lembra qualidades como inocência, pureza, alegria e glória.

Muito comum também é usarmos a palavra “aleluia” nesse período. O termo vem do hebraico “halleluya” e significa “louvem todos a Deus Javé”. Durante todo o Tempo Pascal, deve ser usada e colocada em lugar de destaque a vela do Círio Pascal e canta-se ou reza-se a oração do Glória todos os dias.

No que diz respeito à sua mensagem, esse tempo litúrgico nos convida a refletir mais ainda sobre a ressurreição, a vida eterna e a importância do sacramento do Batismo. Afinal de contas, é com esse primeiro sacramento que iniciamos nossa vida de filhos de Deus, na busca pela vida eterna.

O Papa Francisco já disse várias vezes que nenhum cristão deveria ter “cara de funeral”. Nossa fé está fundamentada na alegria do Ressuscitado. Se valorizamos o sacrifício de Cristo na cruz, devemos também nos alegrar porque o Deus da Vida prevaleceu sobre a morte e o pecado.

Em Jesus, somos livres! Em Cristo, também ressuscitamos! Se Deus é por nós, quem será contra nós? É com esse entusiasmo na fé que a Igreja nos convida a continuar enfrentando os desafios diários.

Amém.

 

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

- Acompanhe o Programa Amém (3ª feiras, às 20h) em www.novaitufm.com.br

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo