Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 8 de junho de 2016

Somos Tudo e Nada

Crédito: Internet Somos Tudo e Nada
Não somos parte de um acaso do Universo.

O ser humano é o maior paradoxo do Universo. É a única espécie capaz de formular conceitos e compreender significados. Ao mesmo tempo parecemos insignificantes em relação ao Cosmos. Carl Sagan costumava dizer que somos um pálido ponto azul no Universo, formados a partir da poeira das estrelas.

Se somos tão microscópicos assim em relação aos astros, cada um de nós é um Universo, como diria Raul Seixas. Desde a origem dos humanos, há 150 mil anos, quantos vagaram pelo planeta? Pesquisadores estimam que 107 bilhões de pessoas. Cada uma foi diferente.

Um ser humano tem 23 pares de cromossomos, nos quais se encontram cerca de 27 mil genes. Um cromossomo humano tem 5 bilhões de nucleotídeos (que são como os blocos construtores do nosso DNA). A ciência afirma que um cromossomo humano tem 20 bilhões de bits (unidades de medida de informação).

Uma letra qualquer, de um alfabeto qualquer, pode ser facilmente identificada usando-se 6 bits. Assim, em cada cromossomo humano carregamos 3 bilhões de letras. As palavras têm em média 6 letras. O que significa que um cromossomo humano possuiu cerca de 500 milhões de palavras. Uma página de livro qualquer tem em média 300 palavras, então um único cromossomo humano carrega em si tanta informação quanto 2 bilhões de páginas. Em apenas um cromossomo, carregamos informação equivalente a 4 mil livros de 500 páginas.

Somos uma maravilha genética da Criação, mas também um mistério ambulante para nós mesmos. Todo o exposto acima vem da Ciência. Não há nele nada de místico ou religioso. Não há citações bíblicas ou falas dos santos da Igreja. Porém, se usarmos bem a nossa Razão, a própria lógica nos fará vislumbrar que todo esse engenho empregado na construção do indivíduo humano não pode ser por acaso. Não somos um subproduto do grande liquidificador universal.

Para os extremistas racionais, tudo o que não pode ser medido e verificado assusta demais. Daí preferirem a negação do que não podem explicar do que a humildade ao reconhecer que nem tudo pode ser explicado, concluindo que deve sim haver uma força universal criadora e maior que todas as coisas criadas.

Somos maravilhas pensantes e somos poeira espacial. Somos uma espécie que começou a pensar agorinha, em relação aos 14 bilhões de anos desde o Big Bang. Não sabemos tudo, apesar de tanta informação. Na verdade, sabemos bem pouca coisa. E, mesmo assim, alguns ainda se autorizam a negar a existência de Deus porque usam a Razão mas a usam olhando para o lado errado.

Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo