Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Socialismo Mata via Banquete de Carne Podre

Crédito: Internet Socialismo Mata via Banquete de Carne Podre
Socialismo mata, mas há quem deseje essa tragédia no Brasil.

Era uma vez uma cidade chamada Maracaibo. Ela transpirava progresso, sendo responsável pela metade da produção de petróleo de toda a Venezuela. Limpíssima, tinha uma vida cultural intensa, recebia muitos turistas e em seus shoppings centers luxuosos as pessoas gastavam em lojas chiques e restaurantes caríssimos. A vida noturna era repleta de diversões e badalações.

Certo dia, apareceu um enorme monstro chamado Socialismo. Era o temível filhote prático de um outro monstro, maior ainda, chamado Comunismo. Pois o monstro socialista atacou não só Maracaibo mas o país inteiro. O luxo deu lugar à miséria. O consumismo foi trocado pela mendicância. A fartura deixou de existir, deixando um imenso vazio de fome e desespero.

O socialismo é, sem dúvida alguma, o pior entre todos os sistemas políticos já inventados pelo ser humano. Já dizia Ronald Reagan, quando presidente dos EUA, que o socialismo só funcionaria em dois lugares: no Céu, onde não precisam dele; ou no Inferno, onde ele já existe. Por mais que soe como brincadeira, milhares de venezuelanos estão sofrendo na própria pele essa verdade: o socialismo transformou a vida deles num verdadeiro inferno terrestre.

O filósofo inglês Robert Spencer costumava afirmar que o socialismo sempre termina em escravidão. Estava coberto de razão. Não é de hoje que os venezuelanos tentam livrar-se, por meios democráticos, do ditador Maduro. Corrompendo o Exército e o Judiciário, oprimindo o Legislativo, prendendo ou exilando opositores, a cria maligna de Hugo Chávez transformou seus compatriotas em reféns do medo, escravos da pobreza.

Mesmo no Brasil, qualquer pessoa esclarecida sabe que a atual crise pela qual passamos é consequência direta dos mandos e desmandos, das falcatruas e barbeiragens realizadas por esquerdistas no poder. Infelizmente somos cada vez mais conhecidos no cenário internacional pela corrupção e pela falta de seriedade institucional. Até mesmo a nossa pseudo-democracia, tão elogiada como a maior do mundo em número de eleitores, transformou-se em piada diária por causa de um  criminoso condenado que é socialista e tenta candidatar-se à Presidência da República.

A história prova que o socialismo jamais funcionou em lugar nenhum do planeta. O economista Roberto Campos dizia: “Socialista é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, prega a igualdade social mas se considera mais que os outros”. Em seu tempo a primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher, afirmava que “o socialismo só dura até acabar o dinheiro dos outros”. Pode pesquisar e conferir: jamais existiu algum líder (ditador) socialista que não fosse milionário. Aos governantes, o luxo. Ao povo, o lixo.

Foi o que aconteceu conosco. O assalto socialista aos cofres públicos acabou com os Correios (no Mensalão) e com a Petrobrás (no Petrolão), só para ficar em duas das nossas estatais que antigamente funcionavam tão bem a ponto de nos deixar orgulhosos.

Graças ao socialismo, hoje em Maracaibo as pessoas brigam para comprar carne podre. Tentam desesperadamente consumir alguma proteína. A carne apodrecida é misturada com carne fresca, pra disfarçar. Ou então é deixada de molho em vinagre e limão, durante a noite, para ser comida no dia seguinte. Um risco à saúde por causa da miséria socialista. Uma vergonha, tremenda desumanidade. E ainda há no Brasil candidatos à Presidência da República que chamem a Venezuela de “democracia”, negando tais horrores. Pior: há candidatos que, se puderem, acabarão por transformar o Brasil numa enorme Venezuela.

O estadista inglês Winston Churchill sintetizou muito bem essa ideologia demoníaca: “O socialismo é a filosofia da falha, o credo da ignorância e o evangelho da inveja, sua virtude inerente é a divisão igualitária da miséria”. Nas próximas eleições seria ótimo que o povo brasileiro votasse com sabedoria. Caso contrário correremos o risco de estar mendigando um banquete de carne podre servido à la carte pelos algozes do socialismo.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo