Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Simpatia

Simpatia
Escultura de Galileo Emendabili

Àquela altura nem havia necessidade de tamanha cautela pois, desde as pálpebras cansadas da matriarca até o olhar mais virgem, não existia sequer uma alma viva ali que não estivesse embasbacada com os traçados fumegantes explodindo sobre suas cabeças e colorindo o céu negro. Mesmo assim, peparou sua mais admirável estratégia, engomou sua farda mais estimada e empunhou suas melhores armas. Deslizou a palma da mão na mesa, suavemente, como se estivesse avaliando a textura da toalha, então olhou de soslaio para a janela que refletia a celebração ao fundo, certificando-se de que não era observada e, vertendo a beleza de uma pirouette executada por uma bailarina gorda, levou sua mão até a bandeja e surrupiou um bicho de pé. Segundos depois, três brigadeiros. Daí uma cocada branca. Afastou-se para estocar o sucesso de seu crime numa bolsa de couro surrada de tantas batalhas e foi ter com os seus para desejar boas novas. Depois enterrou quatorze feijões na batata, um para cada quilo a perder.

Comentários

Conto... ou não conto?

Alex Pinheiro

Alex Pinheiro

Consultor em Turismo Receptivo e Turismo na Internet, exerce na literatura o seu desafio pessoal '1000 caracteres de uma história'. É colunista do jornal Taperá (Salto-Itu-Indaiatuba)

Arquivo

8 de outubro de 2018

Eles Sabiam de Tudo

5 de outubro de 2018

Urna Funerária

8 de agosto de 2018

Estrada

9 de julho de 2018

A ditadura do aroma

28 de maio de 2018

La Ciudadela