Colunistas

Publicado: Sábado, 13 de fevereiro de 2016

Sempre é tempo

Sempre é tempo

 

 

1º. DOMINGO DA QUARESMA

14.02.2016 – Ano “C” de Lucas

Evangelho (Lc. 4, 1-13)

...............................................................................................................................

“”   Naquele tempo, Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e, no deserto, ele era guiado pelo Espírito. Ali foi tentado pelo diabo durante quarenta dias.

Não comeu nada naqueles dias e, depois disso, sentiu fome. O diabo disse então a Jesus: “Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão”.

Jesus respondeu:

“A Escritura diz: ´Não só de pão vive o homem´ ”.

O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo e lhe disse: “Eu te darei todo esse poder e toda sua glória, porque tudo foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu”.

Jesus respondeu:

“A Escritura diz: ´Adorarás o Senhor teu Deus e só a ele servirás´”.

Depois o diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do templo e lhe disse: “Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo! Porque a Escritura diz: ´Deus ordenará a teu respeito, que te guardem com cuidado!´ E mais ainda: ´Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra´”.

Jesus, porém, respondeu:

“A Escritura diz: ´Não tentarás o Senhor teu Deus´”.

Terminada toda tentação, o diabo afastou-se de Jesus, para retornar no tempo oportuno.  “”

...............................................................................................................................

A insistência de como o demônio não se cansa e é insistente, fica acentuada na frase última desse trecho de Lucas. O maligno não se dá nunca por vencido.

Antes, porém, dessa assertiva, fique o cristão convencido de que jamais receberá tentações além de suas forças. Cai, quando não resiste ou até depois de titubear muito e no final ceder.

O método aí está posto pelo próprio Jesus. Saiu-se do engodo de imediato. Não se há de titubear ou pensar muito.

Há que se reconhecer, entanto, que em tempos de agora as tentações são explícitas e as próprias pessoas, pelo abandono de qualquer meio de espiritualidade, paganizam-se por completo.

A desordem e o erro se implantaram como rotina.

Se é um fato inequívoco de que a religião e consequentemente as virtudes estão minimizadas por uma desordem geral, nem por isso se fechem as esperanças.

A todo tempo é possível a recuperação e, em especial em tempos de Quaresma que apenas se inicia, é bem possível encetar um caminho de volta na direção de Jesus.

As tentações nunca serão maiores do que as forças do homem. O descuido, a autoconfiança enganosa, a experimentação sem que se assuma o mal de alguma forma, tudo isso enfraquece qualquer um.

É orar.

É confiar.

Jesus, dele até é possível sentir sua mão, docemente apoiada no seu ombro, quando se envida seguir o caminho reto.

Mesmo quando o ser humano claudica e o carinho dessa mão não é mais percebido, olhe para trás, porque Ele continua ali perto, decidido a abraçar a todos os arrependidos.

Sempre é tempo.

A hora é agora.

                                                                                        João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio