Colunistas

Publicado: Sábado, 26 de junho de 2010

SALA NA COPA - Jogo de compadres

Crédito: Internet SALA NA COPA - Jogo de compadres
Lúcio neutralizou Cristiano Ronaldo. E sem laquê.

Brasil e Portugal fizeram um jogo de compadres, por mais que o primeiro tempo da partida tenha sido muito disputada. Seria joguinho de cena, desfaçatez? Nunca saberemos.

Os brasileiros mandaram no primeiro tempo, mas é notória a falta que faz o trio Elano, Kaká e Robinho. Nilmar tentou, mas o jogo não estava para ele. E Júlio Baptista decepcionou. Esperava muito mais da parte dele.

Portugal levou perigo poucas vezes. Cristiano Ronaldo mal apareceu no jogo, graças ao capitão Lúcio. O zagueiro conseguiu neutralizar o artilheiro português com uma marcação dura e segura. E sem laquê.

O tempo até ameaçou esquentar entre as quatro linhas, o que motivou Dunga a tirar Felipe Melo depois de um cartão amarelo. E o juiz não estava tão seguro de si. Prova disso foram os sete cartões amarelos mostrados nos primeiros 45 minutos.

O árbitro deve ter levado uma bronca da FIFA no intervalo. No segundo tempo não mostrou cartão algum, apitou menos faltas e deixou o jogo rolar. Como num jogo de compadres, foi a vez de Portugal dominar a posse de bola. Mesmo assim, não levou perigo ao goleiro Júlio César.

Estava bom para ambas as partes. Com o empate, Brasil e Portugal garantiram-se nas oitavas. Agora começa outro campeonato, uma Copa do Mundo de verdade. Ainda com possibilidade de algumas zebras aparecerem.

PREVISÕES: Uruguai vence Coréia do Sul; EUA vence Gana.

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo