Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 26 de maio de 2010

SALA NA COPA - Dinamarca

Crédito: Internet SALA NA COPA - Dinamarca
Há algo de podre no reino da Dinamarca...

Há algo de podre no reino da Dinamarca. Não, não é nenhuma chuteira esquecida meses a fio em algum vestiário do país. Mas esta frase de “Hamlet”, obra-prima do inglês William Shakespeare, é a primeira coisa que nos vêm à cabeça ao lembrarmos desta nação nórdica.

Certamente não lembramos do futebol dinamarquês, já que em 18 edições esteve presente em apenas três Copas do Mundo: em 1986, no México; em 1998, na França; e em 2002, na Coréia do Sul e Japão. Sua melhor classificação foi em 1998, quando alcançou um 8º lugar.

Situada como a 35ª melhor equipe do mundo pelos critérios contraditórios da FIFA, a Seleção Dinamarquesa não encontrou resistências para sua classificação à Copa da África do Sul.

Com 70% de aproveitamento, fez parte do Grupo 1 europeu. Sofreu apenas uma derrota na fase de classificação e conseguiu a proeza de terminar à frente da Seleção de Portugal. Nesse mesmo período, marcou 16 vezes e sofreu apenas 5 gols.

O destaque das eliminatórias foi o jogador Soren Larsen, que marcou cinco gols e obteve média de um gol por partida, contribuindo muito para levar os dinamarqueses à sua quarta Copa do Mundo.

Outro nome para se prestar atenção é o atacante Nicklas Bendtner, atacante do Arsenal da Inglaterra. Com apenas 21 anos, ele já marcou 10 gols pela Seleção Dinamarquesa e pode ser promessa de grandes jogadas.

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo