Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Sacerdotisas na Igreja Católica

Crédito: Internet Sacerdotisas na Igreja Católica
Jesus sempre defendeu as mulheres; a Igreja não é machista.

Junto com a luta pelos direitos democráticos, há os que fazem tudo pela igualdade entre homens e mulheres em todos os setores da sociedade. Fazem tudo, menos estudar. A ordenação de sacerdotisas pela Igreja Católica é algo excluído de possibilidades. E é assim não porque os cardeais sejam malvados ou porque o Papa não quer. É assim porque, nestes mais de dois mil anos de História, a Igreja foi fiel a Jesus e aos Apóstolos, que simplesmente não nos deram tal prerrogativa.

A maior falácia (argumento utilizado com má-fé) nesta questão é quando dizem que a Igreja é machista. Trata-se de uma mentira do maior calibre. Convido todos a irem até nossas comunidades num fim de semana. A primeira constatação é que nossos templos estão lotados com uma freqüência de aproximadamente 70% de mulheres, de várias idades. Igreja não é só para idosas, como muitos pensam.

Se a Igreja fosse mesmo machista, porque as mulheres participariam tanto dela? Gostariam elas de viver uma fé que as oprime e machuca? Duvido. Portanto, a não ordenação de sacerdotisas não tem nada a ver com as diferenças sociais entre homens e mulheres, tampouco com o que alegam as feministas mal esclarecidas.

Desde as primeiras comunidades cristãs, vinte séculos atrás, as mulheres tiveram papel fundamental. Entre os seguidores do próprio Jesus, havia grande número de mulheres. Enquanto muito cabra macho fugia de medo, Maria Madalena e Maria de Nazaré acompanharam de perto a tortura da crucificação e morte de Cristo.

Quem estuda a Bíblia Sagrada, de verdade, sabe o grande exemplo de matriarcas como Sarah, Rute, Raquel, etc. Sem falar na presença constante de Nossa Senhora, até hoje e sempre como exemplo de mulher que é solícita, consciente e obediente ao que Deus nos pede.

Jesus sempre foi o primeiro a mostrar aos homens que a mulher deve ser companheira do homem e não instrumento dele para seus prazeres. Jesus defendeu as mulheres, fossem mães de família ou prostitutas. Basta recordar a passagem bíblica na qual ele quebra a hipocrisia machista evitando o apedrejamento da mulher flagrada em adultério.

Enfim, não se pode misturar alhos com bugalhos. A não ordenação de mulheres sacerdotisas é uma questão doutrinal e muito bem fundamentada. Quem quiser estudar, de verdade, este assunto, o ponto de partida é a Carta Apostólica “Ordenatio Sacerdotalis”, publicada em 1994 por João Paulo II.

A vontade de construir um mundo certinho, plenamente moldado aos próprios interesses, é um grande erro neste mundo moderno que nos deixa cegos pela onda individualista. Na Igreja as coisas funcionam com uma finalidade específica. Nada é o que é por acaso. Tudo tem uma razão.

Quem deixar a preguiça mental e vencer o orgulho intelectual poderá estudar para se colocar mais a par do assunto, em vez de ficar bradando impropérios como criança que nada sabe das coisas importantes.

Amém.

- Faça seu comentário e mande sua sugestão de assunto para o artigo seguinte!

- Acompanhe o Programa Amém (3ª feiras, às 20h) em www.novaitufm.com.br

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo