Colunistas

Publicado: Sábado, 31 de março de 2007

Ressuscitar

Ressuscitar
Estamos novamente vivenciando o tempo especialíssimo que chamamos de Semana Santa. Trata-se de relembrar vários episódios envolvendo a pessoa de Jesus: a Santa Ceia, a agonia no Horto das Oliveiras, sua prisão e julgamento, as torturas enfrentadas até a chegada no Calvário, a crucifixão e descimento de seu corpo inerte do madeiro. São cenas que nos levam a refletir sobre o sentido do sofrimento em nossas vidas e dos desafios que temos que encarar para vencer nossos maiores medos. Tempo de pensar e repensar objetivos, de analisar a própria vida e verificar se estamos atuando em nossos meios de acordo com o que Deus espera de nós.
 
A mensagem principal da fé católica pode ser resumida em algumas palavras-chave: amor, vida, esperança, confiança etc. Sabemos que “Deus é amor”, que a vida vence a morte, que a esperança na Providência Divina nos anima e que a confiança em Deus é nosso trunfo diante das dificuldades que o mundo nos impõe. Após passarmos o período quaresmal meditando sobre os sofrimentos de Cristo e os conflitos que viveu para salvar-nos do pecado, chegou finalmente a hora de lembrarmos alegres de sua ressurreição, a vitória definitiva do amor sobre o ódio, da misericórdia sobre o pecado, da vida sobre a morte.
 
Deus glorificou seu Filho ressuscitando-o três dias depois de sua morte na cruz. Ressuscitar é nascer de novo, é reviver. Podemos lembrar daquele trecho que o Jovem de Nazaré tentava explicar aos que o ouviam: “Em verdade te digo, quem não nascer de novo não entrará no Reino dos Céus”. Jesus não estava falando de uma ressurreição igual à que ele mesmo passaria. Queria dizer que, através do batismo e da conversão pessoal, todos podem deixar uma vida de erros e pecados para “voltar a viver” do jeito que Deus deseja.
 
Nos trechos bíblicos que narram a ressurreição de Cristo, ficamos sabendo que a pedra que trancava o sepulcro foi deslizada. Era enorme e se fazia necessário a força de vários homens para movê-la. Dentro do sepulcro só ficaram as faixas na qual envolveram o corpo inanimado de Jesus. Ficaram no chão, pois o Jovem de Nazaré já não estava mais ali. Deixara o túmulo para reviver e continuar levando sua mensagem à humanidade.
 
Como discípulos de Jesus, devemos seguir seu exemplo nos orientando através de seus ensinamentos e palavras. Assim sendo, temos também o dever de “ressuscitar” como o Mestre. Após nossa peregrinação terrestre, batizados e tendo participado dos sofrimentos de Cristo nesta vida, esperamos também ressuscitar com ele para vivermos felizes em comunhão com Deus em seu Reino. Mas enquanto ainda estamos aqui, cumprindo cada qual a missão que o Senhor nos confiou, também podemos ressuscitar.
 
Trata-se de ressuscitar a fé diariamente, para nunca deixá-la arrefecer diante das coisas do mundo que nos desanimam. É não se deixar prender pelas paredes úmidas e pela escuridão dos nossos pecados, conformando-se com eles. É pedir a Deus forças para rolar a pedra da entrada do sepulcro, para que sejamos libertados. É deixar no chão as faixas que nos prendiam, as amarras das nossas falhas. É nos vestirmos de roupa nova, deixando tudo o que é velho para trás. É nascer de novo, para entrarmos no Reino dos Céus. É ressuscitar por dentro a esperança e a confiança em Deus, que nos darão forças para continuar caminhando.
 
Páscoa é palavra que vem do “pessach”, do hebraico que significa “passagem”. Tem um sentido muito importante para os que praticam realmente a religião. Trata-se da passagem da morte para a vida, da dor para a alegria, do desespero para a nova esperança. E pode ser também, para cada um de nós, a passagem de Deus e de suas maravilhas em nossas vidas.
 
Mesmo sendo invisível, o Senhor deixa marcas ao passar. É importante refletir e reconhecer esse fato. Quanto mais deixarmos Deus passar em nossas vidas, mais poderá fazer por nós. Que todos tenhamos uma Santa e Feliz Páscoa, rezando para ressuscitarmos as coisas boas que temos por dentro e pedindo a Jesus que continue passando por nossas vidas, ajudando-nos a continuar espalhando sua mensagem de amor e vida.         
 
Amém.
Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo