Colunistas

Publicado: Quinta-feira, 3 de setembro de 2009

" Abre-te! "

Seis de Setembro.
23º Domingo Comum.
Evangelho de São Marcos.
Versículos de 31 a 37, do Capítulo 7.
 
“Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galiléia, atravessando a região da Decápole.

Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão.

Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e, com a saliva, tocou a língua dele.

Olhando para o céu, suspirou e disse:
“Efatá!”, que quer dizer, “abre-te”.

Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade.

Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas quanto mais ele recomendava, mais eles duvidavam:
“Ele tem feito bem todas as coisas; aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”.
 
Uma das facetas do procedimento de Jesus, é a de revestir seus prodígios de não apenas palavras, mas também de gestos e sinais.
 
Pura didática; inteligente eficaz.
 
É claro que toda palavra ou enunciado traduzem o conhecido e prático recurso do ser humano para se comunicar.
Jesus, propositadamente, aduz aos vocábulos acenos e movimentos, ilustrativos sempre.
 
Não bastaria, no evento deste surdo ao qual se lhe devolve a audição, simplesmente Jesus pensar de si para consigo e curá-lo? Era surdo e quase mudo. Mal articulava seus dizeres.
 
Pois é. Sinalizou com tocar ouvidos e boca, para imprimir na mente do povo seus poderes.
 
O povo se maravilhava e, nem por causa da recomendação de que se calasse, mais ainda ele espalhava as curadas operadas.
 
Teria Jesus, então, no tocante a milagres, assinalado os tempos com fases divisórias e distintas, as de sua época favorecidas com a visão dos prodígios e as posteriores, só com o relato deles?
 
Nos tempos de hoje, há possibilidade de que dos céus venham poderes e autorização para fatos sobrenaturais?
 
Questão de fé.
 
Ao ligado e atento a Deus, malgrado a balbúrdia do mundo - a este há de se mostrar hoje ainda – e sempre – que Jesus opera milagres.
 
Aos desatentos, quem poderá dizer?  Poucas chances.
]
O que consola – e falto alto da misericórdia divina – é que os atentos prosperam na graça e, os distraídos e desavisados, estão convidados a se integrar aos bons, a toda hora.
 
Se estes o fizerem, ainda por cima provocam festa nos céus.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

22 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio