Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 27 de março de 2009

Proximidade da Paixão

Quinto Domingo da Quaresma.
O evangelho é de João.
Capítulo 12.
Versículos de 20 a 33.
Veja-se:
 
”” Naquele tempo, havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém para adorar durante a festa. Aproximaram-se de Filipe, que era de Btsaida da Galileia, e disseram:
“Senhor, gostaríamos de ver Jesus”.
Filipe combinou com André e os dois foram falar com Jesus.
Jesus respondeu-lhes:
“Chegou a hora em que o Filho do homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo, se o grão de trigo que cai terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém quer me servir, siga-me, e, onde eu estou, estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará.
Agora, sinto-me angustiado. E que direi? ´Pai, livra-me desta hora!´?
Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. Pai glorifica o teu nome!”
Então, veio uma voz do céu:
“”Eu o glorifiquei e o glorificarei de novo!”
A multidão que aí estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão.
Outros afirmavam:
“Foi um anjo que falou com ele”.
Jesus respondeu e disse:
“Essa voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim”.
Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer. ““
 
Jesus fala do grão de trigo, que se cai na terra e morre, só então germina.
Nítida referência, àquela hora, ainda incompreensível aos ouvintes e seguidores, justamente o fato de que se cumpririam as Escrituras e Ele seria imolado na crucifixão, mas retornar depois, glorioso, ao ressurgir.
 
Verbera, em palavras claras, o apego à vida terrena.
 
De fato.
 
Ao se lançar os olhos em torno de praticamente todas as pessoas, será difícil localizar alguém que aos bens terrenos dê somente a importância muito relativa que apresentam.
 
Sofreguidão em possuir mais, além, muito além do necessário, confere patamar de saliência do homem perante a sociedade e isso o enche de orgulho, como também de enganosa segurança.
 
Basta-se a si próprio.
 
Prescinde de Deus.
 
João Paulo
Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

18 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio