Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Por Que Não Escrevo Romances?

Crédito: Internet Por Que Não Escrevo Romances?
Não tenho a devida paciência pra elaborar um romance.

Sempre que me cai nas mãos um romance, pergunto a mim mesmo a razão pela qual nunca escrevi um.

Como em tudo na vida, há várias razões.

Romance não é meu tipo preferido de leitura. A não ser os grandes clássicos da literatura universal, não li quase nenhum.

Prefiro livros sobre História ou biografias. Prefiro coletâneas de cronistas. Prefiro livros sobre religião e Psicologia.

Desde que comecei a escrever, fui incentivado à objetividade. Sintetizar e simplificar eram os mantras nesse meu início.

Com o surgimento da internet, tal tendência foi intensificada. Nunca pude ser prolixo ou usar palavras complicadas demais em meus escritos.

Para escrever um romance,  várias coisas são necessárias: dominar o idioma; ter grande poder descritivo; construir as personagens fisica e psicologicamente; conduzir bem a trama; ter um bom enredo; cadenciar os fatos e os momentos da história; elaborar um final aceitável.

Sinto mais prazer fazendo artigos e crônicas, sejam reais ou de ficção. Na verdade, acho que não tenho a devida paciência para elaborar um romance. Pode ser que isso mude com o tempo, quem sabe?

Não significa que desprezo os romances. Ao contrário: admiro quem consegue inventar um do começo ao fim com sucesso. E me surpreendo também com o tanto de gente (graças a Deus!) que lê muitos romances durante o ano.

Por enquanto ficamos assim: os romances no lugar deles e eu no meu, com breves e felizes encontros literários em tempos espaçados.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo