Colunistas

Publicado: Terça-feira, 1 de março de 2011

Por 15 centavos

Quando Valentina pediu ao marido dinheiro para comprar mistura, ele lhe deu uma moedinha de um real, dizendo:

- Compre só um pé de alface.

Valentina foi ao supermercado próximo e escolheu um pé de alface que custava 55 centavos e depois passou pela confeitaria e pegou um doce de 45 centavos.

Ao passar pelo Caixa, no entanto, a funcionária disse que o preço da alface era 70 centavos e que, portanto, faltavam 15 centavos.

- O preço marcado lá na gôndola era 55 centavos, protestou Valentina.

- Mas subiu. O novo preço já foi fixado, 70 centavos.

- Não sei de nada. Quando peguei custava 55 e eu não pago mais do que isso.

- As duas moças começaram a discutir. Valentina reclamando da ladroeira e a outra dizendo que não podia liberar a compra faltando 15 centavos.

As pessoas que esperavam na fila, algumas se impacientavam com a demora, outras davam palpites e contavam coisas que já tinham acontecido com elas na hora de pagar as compras.

Dividiam-se as opiniões:

- Ela tem razão. O preço era mesmo 55 centavos. A Caixa devia deixar por isso mesmo. O supermercado não iria à falência por isso.

- Acontece que a moça é funcionária e tem que cumprir ordens, se subiu, tem que cobrar pelo novo preço.

-Tanta conversa por causa de 15 centavos. Grande coisa!

Um senhor muito sério, único homem na fila, ponderou:

- É muita coisa sim. Sobre 70 centavos dá mais de 20 %.

Enquanto isso as duas continuavam discutindo, trocando desaforos e até palavrões.

O segurança aproximou-se, os ânimos acalmaram e Zilda, a funcionária, devolveu a moedinha para a outra e recolheu sua compra.

Mas, não ficou por isso mesmo.

No dia seguinte Valentina reapareceu no supermercado e se pôs desfilando diante dos caixas reclamando a altas vozes do mau atendimento da loja.

Quando passou pela Zilda, pegou uma lata que estava sobre o balcão e jogou em direção a ela.

Não acertou, mas a moça enfurecida saiu de um salto de seu posto, agarrou o banquinho onde estivera sentada e desceu-o na cabeça da escandalosa que caiu no chão, sangrando.

O segurança apareceu, desta vez acompanhado de um policial que levou as duas para o distrito onde tiveram que explicar a razão de toda essa briga.

Foram liberadas, mas Zilda perdeu o emprego e Valentina teve uma homérica briga com o marido.

Ele era muito conhecido no bairro. Era até candidato a Vereador e o escândalo provocado pela mulher empanou-lhe a imagem.

Tudo por causa de 15 centavos!

Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida