Colunistas

Publicado: Sábado, 12 de dezembro de 2015

Palavras de salvação

Palavras de salvação

 

 

3º. DOMINGO DO ADVENTO – 13.12.2015

Liturgia do Ano “C” de Lucas

Evangelho (Lc. 3, 10-18)

...............................................................................................................................

“”   Naquele tempo, as multidões perguntavam a João:

“Que devemos fazer?”

João respondia: “Quem tiver duas túnicas dê uma a quem não tem; e quem tiver comida faça o mesmo!”

Foram também para o batismo cobradores de impostos e perguntaram a João:

“Mestre, que devemos fazer?”

João respondeu: “Não cobreis mais do que foi estabelecido”.

Havia também soldados que perguntavam:

“E nós, que devemos fazer?”

João respondia: “Não tomeis à força dinheiro de ninguém nem façais falsas acusações; ficai satisfeitos com o vosso salário!”

O povo estava na sua expectativa e todos se perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias.

Por isso, João declarou a todos:

“Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo. Ele virá com a pá na mão: vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro; mas a palha, ele a queimará no fogo que não se apaga”.

E ainda de muitos outros modos João anunciava ao povo a boa-nova.   “”

...............................................................................................................................

Estão aí implícitas e óbvias, normas de conduta preconizadas por João Batista,

que trazidas ao tempo presente, pareceriam insinuações de brincadeira diante do desarranjo social em todas as camadas e em todas as nações.

Desordem e contemporaneidade com abusos e atrevimento inimagináveis, - para dizer pouco - como do apodrecido comportamento dos dirigentes deste país. A instituição do mal.

Cumpre então tarefa heroica a quem deseje perfilar na sociedade de cabeça erguida, com o que o cidadão se torna alvo até de chacota dos demais.

Por mais difícil que seja, um ato quase heroico, será hoje pois, neste evangelho de Lucas, o de recolher-se o cristão e verificar de olhos bem abertos e de coração contrito, no que seu comportamento talvez esteja a pactuar com a inversão de valores.

Vai você a partir daí, perante amigos e conhecidos, tomar feição de piegas; alvo do riso alheiro. Bem assim.

Entretanto, o que resta a um povo desarvorado, entregue a governantes descaradamente ímpios, senão voltar-se a Deus?

Voltar, sim, mas como?

Leia, releia pausadamente o evangelho, penetre o mais íntimo do significado das pregações de João Batista. Componha-se corajosamente se preciso for e de uma vez por todas, não tenha vergonha de ser honesto a toda prova.

Se ainda fica difícil desapegar-se de mazelas tão cômodas, releia, pela vez terceira que seja, mas o faça, o texto integral deste domingo.

Afinal, são palavras da salvação.

Sim, eficientemente, palavras de salvação.

                                                                                            João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

18 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio