Colunistas

Publicado: Terça-feira, 10 de novembro de 2009

Palavras de salvação

33º Domingo Comum.
15 de novembro de 2009.
O evangelho do dia, como habitualmente acontece neste Ano “B”, salvo as eventuais e isoladas inserções de outros evangelistas, compete prioritariamente a São Marcos.
Versículos de 24 a 32, no Capítulo 13.

“” Jesus disse a seus discípulos:
“Naqueles dias, depois da grande tribulação, o sol vai se escurecer e a lua não brilhará mais, as estrelas começarão a cair do céu e as forças do céu serão abaladas. Então vereis o Filho do homem vindo nas nuvens com grande poder e glória. Ele enviará os anjos aos quatro cantos da terra e reunirá os eleitos de Deus de uma extremidade à outra da terra. Aprendei, pois, da figueira esta parábola: quando seus ramos ficam verdes e as folhas começam a brotar, sabeis que o verão está perto. Assim também quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Filho do homem está próximo, às portas. Em verdade vos digo, esta geração não passará até que tudo isso aconteça. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão. Quanto àquele dia e hora, ninguém sabe,  nem os anjos do céu nem o Filho, mas somente o Pai”.  “”

Jesus profetiza, de cima de sua plena autoridade, que haverá um momento do ajuste de contas. Ajuste, quiçá uma expressão forte, porque na verdade o homem é que será julgado na conformidade da conduta pela qual tenha optado, dono que é do livre arbítrio.

A referência de um juízo universal, de data desconhecida e impenetrável, chega porém individualmente e num primeiro  momento, quando da morte.

Solvem-se mil problemas da humanidade, a ciência galga avanços inimagináveis, prolonga-se a longevidade humana sempre mais, porém tudo cede e se rende ao inexorável da morte. Labora em erro, portanto o homem que concentra todas suas atenções, ambição e busca de glória aqui embaixo.

O dom da vida – seja sim exercido na plenitude, com as alegrias legítimas e também sem revolta nos infortúnios sem aviso -  mas sempre e de qualquer forma, na inspiração das palavras eternas dos evangelhos. 

Afinal de contas, elas se resumem na confortável certeza de se constituírem exatamente em palavras de salvação.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

20 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio