Colunistas

Publicado: Sábado, 29 de junho de 2013

Os Jovens de Hoje

Crédito: Internet Os Jovens de Hoje
Jovens dizem respeitar os idosos, mas não escutam os mais experientes.

Os jovens sempre foram um desafio para a sociedade. São vários os dilemas que os envolvem. Há conflitos nos dois sentidos da relação pais e filhos. Há o clássico choque de gerações. Principalmente nos últimos 20 anos, há as transformações pelas quais passou a sociedade e que também afetaram o modo de ser jovem atualmente.

Os jovens de hoje são mais informados que os de antes. A informação instantânea da internet e a comunicação via telefone celular mudaram seu comportamento. Trocar idéias, com pessoas em qualquer parte do mundo, ficou muito mais fácil.

O acesso à informação traz uma sensação de liberdade. Temos um livre-arbítrio e o direito de exercê-lo. Os jovens querem descobrir: a si mesmos, ao outros, ao mundo. Querem saber qual é seu papel na sociedade e sua postura diante dos assuntos que interferem na sua vida. Para os jovens, a vida é um papel em branco e é preciso desenhar.

A informação é inútil se não sabemos como utilizá-la. Os jovens vivem o perigo das idéias erradas, das situações confusas, da mentalidade dúbia, porque não conseguem discernir sobre alguns temas com uma ampla visão.

Se por um lado a ousadia e a coragem são predicados dos jovens de todos os tempos, outras características como a arrogância e a impaciência os acompanham nesse pacote. O jovem tem convicções iniciais firmes, sente-se o dono da razão e nem sempre está preparado para ouvir as verdades que a vida ensina.

Os jovens de hoje dizem respeitar os idosos, aplaudem as iniciativas da chamada Terceira Idade (ou Melhor Idade), revoltam-se contra injustiças feitas aos de cabelo branco. Mas os jovens de hoje não valorizam realmente a experiência dos que foram jovens décadas antes. Não os respeitam no sentido de fechar a boca, abrir a mente e os ouvidos para os testemunhos dos mais velhos. Com essa postura, deixam de aprender muito. Os jovens de hoje têm energia e disposição. Entram em várias lutas, nem sempre pela causa certa.

Os jovens católicos, principalmente os com mais vivência do Evangelho, precisam evangelizar outros jovens e apresentar o grande ideal de Jesus Cristo: a luta por uma sociedade aberta à vida em plenitude, contra a morte, mais solidária, fraterna e justa. Na década de 1960, os jovens gritavam muito por Paz e Amor. Os jovens de hoje precisam saber que, Paz e Amor, só Jesus Cristo pode oferecer. Amém.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é sacerdote católico apostólico romano e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo

13 dias atrás

CATÓLICO MEIA-BOCA

26 dias atrás

Chame o Padre!

27 de junho de 2019

Tudo, Menos Católico...