Colunistas

Publicado: Terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Os bichos vão para o céu?

Crédito: Dreamstime Os bichos vão para o céu?

 

DEPENDE. FELIZMENTE HÁ inúmeras tradições religiosas para que escolha a que o representa, sem falar na possibilidade de ter as suas próprias crenças e práticas extraídas de um conjunto delas.

O conceito de céu ou paraíso varia de acordo com cada uma. Em comum, afirma que ele é reservado exclusivamente aos merecedores.

Quem merece o céu? No islamismo os que morrem lutando contra os infiéis – todos os que não creem em seus ensinamentos e não vivem de acordo com eles.

A própria ideia de paraíso é peculiar a cada tradição. O Corão -  livro sagrado do islamismo -  afirma que o paraíso islâmico é um lugar sensual e rico de prazeres, muito diferente da visão cristã bíblica, onde a vida pós-morte é um retorno ao estado anterior à queda da humanidade, e onde todos podem ver Deus.

Em muitas tradições, além dos humanos merecedores, os animais também têm um espaço reservado lá. No islamismo, “Os bichos serão julgados por Alá no Juízo Final, conforme realizaram ou não seu propósito na Terra”.

A Bíblia cristã indica um Deus amoroso e que se preocupa com todos os animais. Não fala sobre a ressurreição dos animais e não confirma a existência deles no céu. Afirma que eles existirão na Nova Terra, embora não se saiba como isso ocorrerá.

As grandes religiões e filosofias orientais, entre elas o hinduísmo, o budismo e algumas doutrinas ocidentais, acreditam em reencarnação e libertação, em vez de céu.

No budismo há vários céus e todos têm direito a ele, inclusive os animais. Os que acumulam bom karma podem renascer em um deles, mas não permanecem lá eternamente. Renascem em outra realidade como humano, animal ou outros seres.

O budismo também vê os animais como sencientes, assim como os seres humanos, capazes de sofrer, sentir prazer e felicidade. Eles também buscam a iluminação, com diversas mortes e reencarnações em níveis superiores ou inferiores, determinados por suas virtudes na vida anterior. Afirma que os seres humanos podem ainda renascer como animais e os bichos como humanos.

Para os hindus, os animais têm alma, mas a maioria dos estudiosos diz que elas evoluem para o plano humano durante o processo de reencarnação. No hinduísmo os animais são uma parte do mesmo ciclo de “vida-morte-renascimento” que os seres humanos.

Os mórmons declaram que os animais desfrutarão de algum tipo de salvação e imortalidade.

Para o kardecismo, todos os seres são espíritos em evolução, quer sejam humanos ou não-humanos (homens ou animais). Na doutrina espírita o conceito de céu é inerente ao progresso espiritual de cada criatura.

Na doutrina, todos os seres, incluindo os animais, renascem em um ciclo contínuo até que o espírito atinja um plano mais elevado.

A umbanda também prega que eles morrem e renascem no mesmo grupo ao qual pertencem, após um intervalo para que a energia do ser passe por um período de aperfeiçoamento.

Num mundo tão complexo e perfeito em sua criação, é possível que nada saibamos sobre coisa alguma, ou que a soma de todas as vertentes, incluindo a ciência, possa fornecer, no máximo, uma pálida ideia sobre outras dimensões.

Afinal: os bichos vão para o céu? A resposta está diretamente ligada à fé. Apenas a fé é capaz de validar tudo aquilo que você escolheu acreditar.

Comentários

História & Cotidiano

Katia Auvray

Katia Auvray

Historiadora e escritora. Autora dos livros "Cidade dos Esquecidos - A vida dos hansenianos num antigo leprosário do Brasil" e da coleção infanto-juvenil "Magia da História", sobre a história da cidade de Salto/SP. Também é Mestre Reiki.

Arquivo

2 dias atrás

Ocaso

4 dias atrás

A arte de cozinhar

10 dias atrás

O presidente e o twitter

13 dias atrás

Receita de sucesso