Colunistas

Publicado: Sexta-feira, 4 de julho de 2008

Os 40 Anos de Sacerdócio de Monsenhor Durval

Freqüentando a Paróquia Nossa Senhora da Candelária há cerca de 15 anos, raras vezes vi a Igreja Matriz tão cheia, exceto por missas de corpo presente e festas litúrgicas importantes no calendário anual. Na segunda-feira passada, 30 de junho, cerca de mil pessoas estiveram na referida igreja a fim de prestar homenagem a Monsenhor Durval de Almeida, que completava 40 anos de sua ordenação sacerdotal.
 
À igreja acorreram fiéis de vários bairros da cidade, principalmente os que atuam nas Paróquias dedicadas a São Camilo de Léllis e Nossa Senhora da Candelária, onde o sacerdote atuou. Uma caravana com fiéis da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, localizada em Guarulhos (SP), também esteve presente na festa daquele que fora seu pároco na década de 1980.
 
Dom Gil Antônio Moreira presidiu a missa solene, que contou também com a presença de sacerdotes de Itu e Guarulhos, diáconos, seminaristas, Ministros e Ministras da Eucaristia, crianças e jovens. O competente Coral da Manhã fez todos cantarem com muito fervor, abrilhantando a cerimônia. Autoridades civis e militares também estiveram presentes.
 
Antes de iniciar a celebração, dom Gil fez questão de ceder a presidência ao homenageado. Sem dúvida um gesto de humildade do bispo diocesano de Jundiaí e um reconhecimento público ao serviço prestado por Monsenhor Durval. De fato, em sua homilia, dom Gil agradeceu ao sacerdote por sua dedicação, exaltando-o como um exemplo a ser seguido pelos padres mais jovens.
 
Era evidente a comoção de Monsenhor Durval. Quem o conhece de perto, sabe de seu estilo discreto e até mesmo mau-humorado em certas ocasiões. Um mau-humor que pode muito bem ser explicado como excesso de zelo em suas responsabilidades. Normalmente solicitando aos fiéis que se coloquem a serviço de Deus e da Igreja, as posições de destaque o incomodam.
 
Seu jeito simples é afeito a homenagens, mínimas que sejam. Mas ao completar quatro décadas de sacerdócio, não havia como evitar o regozijo popular. Até mesmo para isso o padre encontrou uma justificativa, quando afirmou: "Agradeço as homenagens de todos não porque eu mereça, mas para a maior glória de Deus".
 
Quarenta anos são uma vida inteira! Quantos fatos sucederam-se mundo afora nesse período? Quantas revoluções e transformações na História e na Geografia, nas Ciências em geral e no comportamento humano? Mas uma coisa não mudou: ao ser ordenado presbítero, Monsenhor Durval soube ser fiel ao Senhor, que lhe disse: "Tu és sacerdote pra sempre!".
 
Os que têm uma caminhada na Igreja, freqüentemente se entristecem com o lado humano e pecador que ela possui, não podemos negar. Porém, em momentos como a festa em torno dos 40 anos de sacerdócio de Monsenhor Durval, todos sentiam aquela alegria própria de quem faz parte do Reino.
 
Na Matriz da Candelária os fiéis reuniram-se como uma grande e verdadeira família, em torno de seu guia e pai espiritual. Em vários momentos o homenageado, com voz embargada, fazia pausas em seus pronunciamentos. Em outra vezes, era interrompido pelas palmas que se estendiam por vários minutos. Realmente uma festa, no sentido mais amplo do termo.
 
Festejar essas quatro décadas de sacerdócio era mais do que necessário. Um reconhecimento público à dedicação de alguém que assumiu para si todos os sacrifícios que a vida presbiteral impõe e que não são poucos. Passadas as festividades, certamente o Monsenhor Durval continuará a mesma pessoa de sempre, cuja característica maior, além do zelo pastoral, é certamente a simplicidade.
 
Queira Deus que, entrando na Matriz da Candelária, possamos continuar vendo por muito tempo a cena de um sacerdote pequeno, sentado em um dos bancos e contrastando com a enormidade da igreja centenária sob sua responsabilidade. Monsenhor Durval afirmou ter um "coração pequeno", no qual cabem todos os seus parentes, amigos e paroquianos. Mas nesse coração dito pequeno também cabe uma fé enorme, da qual somos testemunhas.
 
Glória a Deus nas alturas, pela vocação plantada nesse coração ituana, alimentada diariamente pela força da Eucaristia e cultivada com apreço por Monsenhor Durval desde os tempos de sua mais tenra mocidade! Agradeçamos todos ao Senhor, pela oportunidade de testemunhar tamanha dedicação à causa do Evangelho e, junto com isso, nos beneficiarmos dos frutos gerados com isso. Parabéns, Monsenhor Durval! Tu és sacerdote pra sempre!
 
Amém!
Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo