Colunistas

Publicado: Quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Obesidade infantil afeta uma em cada três crianças

Crédito: www.google.com.br Obesidade infantil afeta uma em cada três crianças

Entenda porque as nossas crianças estão engordando!

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)publicou recentemente uma pesquisa comparativa relacionada a obesidade, os achados no estudo, relacionados a evolução de peso e estatura de crianças e adultos no Brasil nos dias atuais, comparados com as estatísticas de 1974 e de 1989.  O resultado? Assustadoramente previsível. A obesidade que é uma doença crônica inflamatória ao organismo, avança a passos galopantes e pesados, podendo ser a maior epidemia em curso no nosso país, superando a dengue, o H1N1 e até a AIDS, entre outras, sem respeitar sexo, idade ou classe social. Mais da metade da população adulta no Brasil está com sobrepeso ou obesidade e a patologia, já atinge uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos de idade.

Quando falamos sobre o grave problema que representa a obesidade infantil hoje em dia, muitas vezes nos esquecemos de atribuir a responsabilidade a quem realmente a merece. Nenhuma criança (pelo menos até seus 2 anos de idade) come o que não lhe é oferecido ou não está ao seu alcance, assim, grande parte dos quilos a mais da criança vem por causa dos hábitos culturais dos pais e familiares. O ambiente familiar, primeiro nicho social do qual a criança faz parte, além de prover um bom teto, deve representar boas condições de saúde, amor e segurança, visando familiaridade com uma alimentação saudável. Dessa forma, o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida deve ser a meta, a base para uma vida saudável e sustentável. Depois disso, a introdução de outros alimentos deve seguir uma orientação adequada, fornecida nas consultas pediátricas e pelo (a) nutricionista e por uma rotina a ser seguida por todos no ambiente familiar (em casa e na casa de parentes) e especialmente na escola.

“O ambiente familiar é o primeiro nicho social do qual a criança faz parte e deve cuidar de toda a alimentação da criança”

 

Fontes científicas consultadas:

http://www.ibge.com.br/home/

Comentários

Entendendo o mundo fitness

Pedro de P. L. Aguiar

Pedro de P. L. Aguiar

Graduado em Educação Física pelo Ceunsp; Pós-graduado em bioquímica, fisiologia, treinamento, nutrição desportiva pela Unicamp; e Pós-graduando em fisiologia do exercício com ênfase em envelhecimento, saúde e doenças na USP.

Arquivo