Colunistas

Publicado: Sábado, 9 de junho de 2007

O Silêncio

Pai, eu sei que teu silêncio só me basta / Que o teu calar diz mais do que palavras / Mas sabes no momento que eu preciso ouvir / Ouvir tua voz / Pai, eu sei que errei e quero te pedir perdão / Talvez o silêncio seja correção / Talvez eu não esteja tão maduro assim / Pra te ouvir falar.
 
Não é preciso escutar a voz de Deus em nossos ouvidos para sabermos que Ele está conosco. Na verdade precisamos aprender a ouvir a voz de Deus em nosso coração. É ali que verdadeiramente o Senhor quer fazer sua morada, local privilegiado durante a nossa existência. Diante de inúmeras crises que podem surgir repentinamente em nossa vida, muitas vezes questionamos Deus sobre o porquê de cada um dos nossos problemas. Nem sempre Deus nos responde. Às vezes nos manda sinais. Também pode ficar em silêncio, o que nos faz refletir. Então finalmente descobrimos o que há de errado e nos arrependemos. Sentimos a vontade de pedir perdão a Deus, reconhecendo as nossas falhas.
 
 
Pai, desesperado eu clamo tua compaixão / Não posso suportar a dor da solidão / Sussura ao menos algo em meu coração / E então me diz: qual é o meu caminho, minha direção / Minha alma está gritando, pronta pra te ouvir / Renunciei minha vida e hoje estou aqui.
 
Diante dos nossos erros, só podemos contar com a misericórdia divina. O que seria de nós se Deus resolvesse não nos perdoar? Quando brigamos com alguém, temos o costume feio de não falar mais com a pessoa. Isso contraria a lei do perdão que Jesus nos ensinou. E se Deus também resolvesse não falar mais com a gente? Seria terrível. Sentir a ausência de pessoas queridas em nossa vida é muito triste. Mas sentir a ausência de Deus em nossa vida seria muitíssimo pior. Fomos feitos por Ele e para Ele. Sem Ele nada faz sentido. Para viver esse amor de Deus devemos renunciar a muitas coisas, a fim de poder estar sempre em sua presença.
 
 
Filho, eu sempre estou falando pra quem quer ouvir / E mesmo se não falo, sempre estou aqui / Até quando descanso, olho por ti / Filho, se a vida te machuca sofro por ti / Carrego-te nos braços, pode crer / Confia teu futuro em minhas mãos, filho meu.
 
Quando pecamos nos afastamos de Deus. Não quer dizer que o contrário seja verdadeiro. Por mais difícil que seja de entender, o Senhor jamais se afasta de nós. Nem mesmo quando cometemos os mais graves erros. É principalmente em nossos momentos de dor que Deus se faz mais presente. Nem sempre é através de uma palavra. Deus pode manifestar seu amor através das pessoas que nos rodeiam, através de gestos e de acontecimentos inesperados. Ele é o primeiro que deseja nos vez felizes, é primeiro a partilhar conosco as nossas angústias. Afinal, quem sabe mais do que Deus? Ele sabe o que acontece com a gente, antes mesmo que nós mesmos tenhamos uma total percepção de tudo. Assim sendo, nada melhor do que praticar a fé e colocar a própria vida nas mãos do Pai, com a certeza de que Ele cuida de nós.
 
 
Sim, esqueça o teu passado, já te perdoei / Por tantas vezes tua vida eu restaurei / Sou eu quem te renova e te faz feliz / Não, não fique assim gritando, pois já estou aqui / Faça silêncio em torno do teu coração / O meu falar é baixo, podes não me ouvir.
 
Ao nos perdoar, Deus o faz sinceramente. Não fica nos jogando na face os erros cometidos. Ao contrário, quem gosta de fazer isso é o demônio. O inimigo adora usar nossas fraquezas para nos causar desânimo. Porém com suas manifestações de amor e perdão, o próprio Deus nos reanima a fim de que tenhamos paz e alegria na vida, partilhando esses e outros sentimentos com os que convivem conosco. Deus tem poder para tirar-nos de qualquer situação. Ele é capaz de transformar a nossa vida inúmeras vezes, tudo conforme o seu plano para nós. O segredo é viver serenamente, confiando na misericórdia divina. A fé deve ser o nosso suporte, principalmente nas horas difíceis. Não adianta gritar nas horas de dor. É melhor aquietar o espírito através da oração e assim poder escutar melhor as coisas que Deus tem a nos dizer.
 
Amém.
Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo