Colunistas

Publicado: Sábado, 6 de janeiro de 2018

O Rei por excelência

REFLEXÃO DOMINICAL – 07.01.2018

Liturgia do Ano “B” – Epifania do Senhor

Evangelho (2, 1-12)

......

 

“”””    Tendo nascido Jesus na cidade de Belém, na Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, perguntando;

“Onde está o rei dos judeus, que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.”

Ao saber disso, o rei Herodes ficou perturbado, assim como toda a cidade de Jerusalém.

Reunindo todos os sumos sacerdotes e os mestres da lei, perguntava-lhes onde o Messias deveria nascer.

Eles responderam:

“Em Belém, na Judeia, pois assim foi escrito pelo profeta: ´E tu, Belém, terra de Judá, de modo algum és a menor entre as principais cidades de Judá, porque de ti sairá um chefe que vai ser o pastor de Israel, o meu povo´”.

Então Herodes chamou em segredo os magos e procurou saber deles cuidadosamente quando a estrela tinha aparecido. Depois os enviou a Belém, dizendo:

“Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”.

Depois que ouviram o rei, eles partiram.

E a estrela que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até parar sobre o lugar onde estava o menino.

Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe.

Ajoelharam-se diante dele e o adoraram.

Depois abriram seus cofres e lhe ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra.

Avisados em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram para sua terra, seguindo outro caminho.    “”

........

 

De pouco tempo atrás, quase ao cabo da liturgia do Ano “C”, ocorreu a narrativa da longa viagem empreendida por Nossa Senhora, a visitar a prima Isabel, também grávida, tendo lá permanecido durante três meses.

Eis agora, de novo,  Maria e José distantes de sua casa e em lugar inóspito, diante da ameaça de Herodes.

É de se imaginar as dificuldades e os problemas vividos pela Sagrada Família, desde os primeiros dias do nascimento de Jesus.

Após o retorno para sua terra, de pormenores da vida dessa família pouco se sabe. As escrituras mencionam que o Menino crescia em idade e na graça de Deus, seus pais praticamente anônimos entre o povo.

Há referência apenas ao episódio da apresentação de Jesus no Templo, para nessa ocasião Maria ver-se aflita pela perda do filho. Depois de uma busca de três dias, encontra-o a disputar com os doutores no Templo.

Posteriormente, é nas das Bodas de Caná, que Jesus opera o primeiro milagre, a pedido de sua mãe, para transformar água em vinho. Por isso,a  ela, desde então, se atribui  saudação de Medianeira de todas as graças.

Enfim e à guisa de mera recordação, para realçar o carinho dos Magos a visitar o menino, costumava-se dar a esta data o título de Dia de Reis.

                                                                         

                                                                                       João Paulo

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

15 dias atrás

Olhemo-nos de frente

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio