Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 3 de setembro de 2018

O Que Queima no Brasil?

Crédito: Internet O Que Queima no Brasil?
Há mais patrimônio queimando: estamos largados no fogaréu.

É de espantar a comoção causada diante da tragédia que vitimizou o Museu Nacional do Rio de Janeiro, localizado na Quinta da Boa Vista, local que tive o prazer de visitar tempos atrás. Também, pudera: o episódio foi gigantesco na enormidade do incêndio e do prejuízo causado. E também houve a sensacionalismo da grande mídia. Antes do ocorrido, muita gente sequer se lembrava que havia um museu como aquele na Cidade Maravilhosa... Todavia, outras coisas no Brasil estão figurativamente jogadas ao fogaréu sem que ninguém faça conta disso.

Um país que insiste em “valores” como o Carnaval e o Futebol.

Um país que despreza seus heróis e esquece os seus bons exemplos.

Um país que incentiva ao sexo e às drogas, seja no rádio, no cinema ou na televisão.

Um país que faz apologia ao crime, como solução para uma vida cheia de riquezas.

Um país que persegue policiais e exalta bandidos, colocando estes últimos como exemplos.

Um país que privilegia Anitta e esquece Villa Lobos.

Um país que prefere Paulo Coelho a Machado de Assis.

Um país que faz tietagem a Neymar, mas nem sabe quem é José Monir Nasser.

Um país que exalta Leandro Karnal e ignora Mário Ferreira dos Santos.

Um país que prefere qualquer desenho animado idiota a um passeio num museu.

No Brasil, há outro patrimônio sendo consumido no fogo da ignorância e da bestialidade.

Esse patrimônio é o pensamento, a cultura e os valores do povo brasileiro.

Junto com eles, queima também o próprio povo, tão maltratado.

Enquanto em nosso país as prioridades forem o casamento gay, o sistema de cotas raciais, a guerra velada contra o cristianismo, o feminismo da quarta onda, a aprovação do aborto, o “Lula livre” e tutti quanti, mais museus continuarão queimando de tempos em tempos.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo