Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 14 de julho de 2008

O Presente da Mamãe

O Papai toma o café da manhã, com as crianças, na mesa da cozinha enquanto a Mamãe está no quarto cuidando do bebê.
- Então, vocês já pensaram no presente que querem dar a Mamãe no Dia das Mães?
- Eu quero dar uma roupa bem sarada pra ela, diz a Julia.
- Muito bem! Eu dou o dinheiro e você pede para a tia Santa ajudar você escolher.
- A Tia Santa, não! Ela é muito cafona.
- Cafona, a Tia Santa? Imagine! Ela é muito chique!
- Chique nada! Anda com umas roupas muito caretas. Eu quero comprar na loja C&A porque na televisão disse que toda Mãe elegante usa as roupas de lá.
- E você Felipe, o que gostaria de dar para a Mamãe?
- Eu quero dar um carro.
- Um carro?! Mas um carro custa muito caro, nós não temos tanto dinheiro assim.
- Custa nada! O São Nunca disse que este ano todas as Mães vão ganhar carros porque a gente pode pagar em 50 prestações e juros de 2% ao mês.
- E você sabe quanto custa um carro? Sabe quanto é 2 % desse valor?
- Eu não sei nada disso. Só sei que o São Nunca disse que só não compra quem não quer.
 
A Mamãe atravessa a cozinha para pegar a mamadeira e as crianças se calam disfarçando exageradamente, mexendo o café e mordendo a bolacha.
- Ela troca um sorriso meio cúmplice com o Papai e mergulha de novo no corredor.
- Eu queria dar a ela um celular, igual o que a Gabriela deu para a Regina Duarte.
- Mas ela tem um celular novinho. Pra que dar outro?
- Porque o celular dela é morto.
- Celular morto? Que besteira é essa?
- A Gabriela Duarte disse que o celular que ela vai dar para a mãe dela é Vivo e que depois que inventaram esse, todos os outros ficaram obsoletos. Eu acho que ela quis dizer: mortos.
 
A menorzinha de manifesta:
- Eu quero dar a ela uma caixa de bombons bem grande.
- Muito bem, filhinha! Uma caixa de bombons é um ótimo presente.
- Mas tem que comprar no supermercado “Sonda”.
- Por que tem que ser no “Sonda”? Não pode ser no “Extra” ou no “Carrefour”?
- Não! O homem da televisão disse que quem ama a Mamãe compra seu presente no supermercado “Sonda”. Se a gente comprar em outra loja ela vai pensar que a gente não ama bastante ela.
- Mas aqui não tem supermercado “Sonda”.
- Mas em Jundiaí tem. A gente vai comprar lá.
 
O Papai levanta e olha o relógio:
- Bem, crianças! Está na hora de ir pra Escola. Vamos!
 
À noite, conversa com a Mamãe:
- Você não acha que a gente devia tirar a televisão do quarto das crianças? Acho que elas estão vendo TV demais.
- Por que isso? Televisão é cultura! Todo mundo assiste. Quem não assiste fica desatualizado.
- É... pode ser que você esteja com a razão...
Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida