Colunistas

Publicado: Terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O Novo Semáforo do Caos

Crédito: Internet O Novo Semáforo do Caos
Novo semáforo gera caos e complicação no Centro de Itu.

Na junção da Great George Street e da Bridge Street, localizadas no distrito de Westminster, na Inglaterra, foi instalado o primeiro semáforo de que se tem notícia. Isso aconteceu em 1868, por iniciativa do engenheiro J.P. Knight. Até então era um sinaleiro a gás, com apenas duas cores: vermelho e verde. O semáforo elétrico surgiu apenas em 1923. Foi inventado por um afro-americano chamado Garret Morgan, que vendeu a patente da invenção para a General Electric.

Esta semana o Departamento de Trânsito da nossa querida cidade de Itu instalou um novo semáforo no cruzamento das ruas Santa Rita e Garcia Moreno, no Centro. Na minha opinião de motorista e pedestre, a providência foi péssima.

Não sei qual estudo é feito antes de colocar um novo semáforo em algum lugar, nem como se regula o tempo dos sinais no aparelho. Fato é que o já apertado trânsito ituano na região central ficou ainda mais caótico. Em um curto espaço de cinco quarteirões, temos agora três sinaleiras! Acho que é muito e pouco funcional.

O que vi no dia da estréia foi o trânsito lento, carros invadindo faixas de pedestre, motoristas irritados e buzinantes. A demora gerada pelo novo semáforo da Santa Rita acabou sobrecarregando também as ruas Santa Cruz (já péssima com o intenso tráfego de ônibus) e Floriano Peixoto (com suas lojas e agências bancárias).

Mas e então, senhor-jornalista-sabe-tudo? Melhor seria não ter instalado o semáforo? Respondo: quase isso. O que falta ali no cruzamento da Santa Rita com a Garcia Moreno (assim como em outros pontos de trânsito intenso na cidade) é a ação permanente de agentes de trânsito.

Claro que é mais fácil instalar uma máquina em cada esquina pra tentar controlar o caos que é o apertado trânsito central em Itu. Mas a presença de um guarda de trânsito regulando quem vai e quem vem é muito mais eficaz. Aliás, sempre foi feito assim em momentos de emergência ou quando um dos semáforos quebrava.

Creio que nosso governo deveria investir menos em máquinas (semáforos) e investir mais no ser humano (funcionalismo público). É preciso valorizar os guardar de trânsito e também fazer que colaborem com a cidade exercendo as funções para as quais foram empregados. Porque hoje, infelizmente, a imagem que se tem é de que servem apenas para aplicar multas.

VERMELHO: é urgente um novo plano de trânsito para o Centro de Itu, privilegiando pedestres e comerciantes.

AMARELO: se nada for feito com competência e estudo, tudo vai piorar mais ainda com o passar do tempo.

VERDE: trafego pelo Centro bem mais rápido à pé ou de bicicleta do que de automóvel.

Comentários

Visão de Mundo

Salathiel de Souza

Salathiel de Souza

Jornalista, professor e teólogo, iniciou carreira em 1996. Membro da Academia Ituana de Letras, é diácono transitório na Diocese de Jundiaí (SP) e autor de "Tudo Pela Missão! - Minha Experiência Missionária em Roraima".

Arquivo