Colunistas

Publicado: Sábado, 23 de dezembro de 2017

O Natal de Jesus

REFLEXÃO DOMINICAL – 24.12.2017

Natal do Senhor – Missa da Noite

Evangelho de Lucas, 2, 1-14

...........................

 

“”””    Aconteceu que, naqueles dias, César Augusto publicou um decreto, ordenamento o recenseamento de toda a terra.

Esse primeiro recenseamento foi feito quando Quirino era governador da Síria.

Todos iam registrar-se, cada um na sua cidade natal.

Por ser de descendência da família de Davi, José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judeia, para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.

Enquanto estavam em Belém, completaram-se os dias do parto, e Maria deu à luz o seu filho primogênito.

Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria.

Naquela região havia pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do seu rebanho.

Um anjo do Senhor apareceu aos pastores, a glória do Senhor os envolveu em luz, e eles ficaram com muito medo.

O anjo, porém, disse aos pastores:

“Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um salvador, que é o Cristo Senhor.

Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido envolvido em faixas, e deitado numa manjedoura”.

E, de repente, juntou-se ao anjo uma multidão da coorte celeste. Cantavam louvores a Deus, dizendo:

“Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele

amados.”    “”

..................................

 

Haja, pois, um mínimo de esforço dos cristãos em não nublar a data mais solene do ano, com mil cuidados, meramente de efeito terreno e passageiro.

Presentes e festas à larga, ceia e cantoria, muita vivacidade e... só.

Haja, de uma vez por todas, que o contágio dessa alegria alcance também os valores espirituais que a data pede e reclama.

Afinal de contas, o centro das atenções, reverência e como que retorno ao dia em que a terra modificou, porque nela finalmente nascera um rei verdadeiro. E esse reinado pede envolvimento das pessoas sim, atentas e fiéis a todas as graças advindas à humanidade, com a chegada do Menino Deus.

Não se há de fazer aqui alongada peroração.

Quede-se cada qual na sua intimidade, preencha o coração das benesses espirituais e, aí sim, espalhe esse brilho interior da alma a quantos você queira e ame.

Afinal, a data é eloquente.

Ela anuncia: Jesus nasceu!

Chegue assim aos fiéis e constantes leitores destes modestos comentários semanais uma saudação de agradecimento, por todas as vezes que aqui comparecem e, em última análise, aliam-se ao motivo e razão desta coluna: dar glórias ao Senhor.

                                                                                                                João Paulo

                                                             

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

17 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio