Colunistas

Publicado: Terça-feira, 7 de abril de 2009

O Milagre aconteceu

Stela sempre gostou muito do seu nome.
- Sabe, Mamãe, que meu nome quer dizer estrela?
 
Não sabia. Que bonito! Eu pus esse nome em você porque era o nome de uma menina de quem eu fui babá quando era mocinha. Gostei do nome e disse que esse seria o nome de minha primeira filha.
- E sabe que as estrelas têm luz própria?
- Isto já não é verdade. Nada tem luz própria. Toda luz vem de DEUS.
- É claro! Mas as estrelas recebem sua luz diretamente de DEUS.
- Isso pode ser...
 
Stela era uma menina muito pobre. Morava em uma favela onde as crianças, na maior parte, viviam abandonadas pela rua, mendigando ou roubando.
 
A mãe de Stela, entretanto, fazia questão de cuidar muito bem da filha. Com seu salário de faxineira, fazia o melhor que podia. Stela sempre ia à escola muito bem arrumadinha e estudava muito. Destoava das outras crianças, na sua maioria, maltratadas e mal educadas. Os colegas a chamavam de Estrela, alguns com admiração, outros com ironia.
 
Desde menina sempre disse que queria ser uma médica e a mãe fazia-lhe ver que isso era quase impossível. As faculdades de medicina são caríssimas, e difíceis de entrar. Ela precisava trabalhar para ajudar na despesa da casa. Como poderia estudar tanto?
 
Mas Stela não abdicava de seu sonho. Dizia que ia conseguir, que os milagres, às vezes, acontecem.
 
No tempo oportuno prestou vestibular em várias faculdades e conseguiu ser aprovada em uma delas. Mas era caríssima! Ela não podia pagar nem sequer a matrícula, muito menos as mensalidades, os livros, etc.
 
E se ela conseguisse uma bolsa?
Foi falar com o diretor da faculdade. Contou sua situação, tentou sensibilizá-lo, falou do seu sonho de toda vida, mas, nada!
 
Ele foi atencioso, pareceu simpatizar com ela, compreender o seu problema, mas... a faculdade não estava em boa situação ... Sua cota de bolsista estava esgotada... Não dependia dele...
 
Tentou pedir um financiamento, o Crédito Educativo, mas este também dependia dela matricular-se, pagar algumas mensalidades para depois... Quem sabe?
 
Esperou ansiosamente que alguma coisa acontecesse para mudar a situação, mas, que podia acontecer? Dinheiro não cai do céu, nem por milagre!
 
Mas o amor opera milagres, sim!
 
Quase a expirar o prazo para a matrícula, as esperanças retidas a custo no coração, já prestes a dissipar-se, Estela recebeu um telefonema do Diretor pedindo o seu comparecimento urgente.
 
Com o coração aos pulos ouviu a história na qual quase não conseguia acreditar. Uma das moças que fizera vestibular com ela e fora aprovada, filha única de um pai muito rico, sofrera um acidente e falecera.
 
O pai, profundamente abalado, resolvera, em memória da filha, pagar os estudos de uma estudante pobre e procurara o Diretor para que lhe indicasse um nome.
 
Imediatamente, ele lembrou-se de Estela. Estela, profundamente emocionada, começou a chorar copiosamente.
- E então? Não está feliz? Vai realizar o seu sonho!
- Mas eu não queria que, para isso, alguém tivesse que morrer. 
- Ela não morreu por isso. Morreu porque chegou a sua hora. Tudo tem o momento exato para acontecer.
 
Para você chegou a hora de realizar seu sonho. Alegre-se, e seja muito bem vinda a nossa Escola!
 
Deus, às vezes, escreve certo por linhas, que nos parecem tortas, mas, será que existem linhas tortas no traçado do Senhor?
Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida