Colunistas

Publicado: Segunda-feira, 9 de março de 2009

O Kit Kaka

Numa cidadezinha do interior, a Câmara dos Vereadores se reúne para uma sessão ordinária. Depois das considerações preliminares, dos comentários das últimas novidades, o tempo, negócios, política, futebol, viagens, mulheres... Alguém lembrou:
- Que temos de importante para resolver hoje?
 
Antes que mais alguém respondesse o vereador nº. 1 que, momentos antes, pisara em algo estranho na calçada da rua e, agora, estava com a sola do sapato desagradavelmente pegajosa e malcheirosa, exclamou:
- Precisamos fazer uma lei proibindo a criação de cachorros na cidade. Só no ano passado, segundo estatística do Pronto Socorro mais de 300 pessoas passaram por lá com mordidas de cachorro. Houve até mortes!
 
O vereador nº. 2 que tem oito cachorros no fundo do quintal protestou:
- Isto é um absurdo! Dentro de seu próprio quintal cada qual pode ter quantos cachorros quiser.
- É, mas quando um deles escapa e mata uma criança como é que fica?
- Fica por isso mesmo. Foi um acidente. Essas coisas acontecem...
- E o dono do cachorro, simplesmente, diz “sinto muito”?
- E o que mais ele poderia fazer?
- O nº. 1 percebe que não vai conseguir nada. A maioria dos colegas gosta de cachorro e os que não gostam também não desgostam.
Mas ele estava p... da vida com o que acabava de lhe acontecer e, sem querer entrar em detalhes, continuou:
- É uma vergonha! Esses caras saem passear com os seus cachorros e nem se são ao trabalho de limpar a sujeira que eles fazem.
- Bem, ponderou o outro, agora sim, você tem razão, vamos resolver de vez esse problema, alguém tem uma sugestão?
- Poderíamos obrigar o uso de fraldas nos caninos.
- Eu acho que não daria certo.
- Que tal a gente bolar um kit com uma vassourinha, uma pá e um saquinho, tudo acondicionado em uma sacolinha elegante que todo mundo gostaria de trazer a tiracolo?
- Eu acho a idéia genial. A prefeitura poderia fornecer gratuitamente, e colocar uma propagandazinha dos candidatos à próxima eleição.
- Eu acho melhor que a Prefeitura venda e a renda reverta para um aumento de nossos salários.
- Melhor ainda! Mas, será que as pessoas comprariam?
- Claro que sim. A gente fazia uma lei obrigando seu uso e multando quem não usasse. Mais uma rendazinha para nossa caixinha.
- Ótimo! Vamos cuidar disso imediatamente.
- Ah! Hoje não dá mais. Faltam só quarenta minutos para encerrarmos o expediente, fica para a próxima sessão.
- Eu acho que a gente podia convocar uma sessão extraordinária. Resolveríamos este problema e ainda ganharíamos o extra.
- Eu acho excelente!
Comentários

Os contos da Maith

Maith

Maith

Escritora amadora, apelidada carinhosamente de bisavó blogueira. Vive em Sorocaba.

Arquivo

30 de abril de 2012

Um rosto barbado

23 de abril de 2012

O ovo da Páscoa

16 de abril de 2012

Pode me chamar de Judas

9 de abril de 2012

Do diário de uma adolescente

2 de abril de 2012

Flores da minha vida