Colunistas

Publicado: Sábado, 5 de janeiro de 2019

O Farol na Vida de Alguém.

O Farol na Vida de Alguém.

Por vezes reclamamos que somos muito demandados, sempre procurados. Quando alguém precisa de alguma coisa e se socorre de nós, imediatamente, reclamamos.

Ocorre que esquecemos que talvez podemos ser aquele pontinho de luz que ilumina na mente da pessoa quando ela precisa de algo e ao invés de reclamar, se pudermos ajudar, o que nos custa servir? Claro que temos de saber impor limites e também saber dizer não, principalmente quando ajuda se confunde com abusos.

Eu quando tinha alguma dúvida, principalmente no que tange à espiritualidade costumava demandar meu querido, falecido, mas eterno avô, hoje, eu simplesmente busco as respostas em livros espíritas ou mesmo frequentando o Centro Espírita. Inclusive este ano que se inicia, tomei a iniciativa de voltar a frequenta-lo e assim pretendo continuar.

Quando queria ter um filho, sempre dizia que queria ser para ele o que faltou dos meus pais e o muito que meus avós foram para mim, porém, com tanta correria que temos na vida, por vezes nos esquecemos de nossos próprios desejos, mas o mais importante, é resgatá-los e coloca-los em prática.

Assim como devemos colocar em prática a tolerância, o respeito, a união, principalmente no tempo em que vivemos, aonde as pessoas se esquecem de respeitar, e calar quando não concordam com uma opinião divergente da sua. Se agridem, discutem e por vezes perdem a amizade por conta de assuntos banais como política, religião e até mesmo futebol.

Posso dizer que meu avô sempre foi o farol na minha vida, aquele o qual eu seguia, aquele o qual quando estava a me perder, eu olhava no horizonte longínquo e conseguia encontrar sua luz e voltava a correr em sua direção e aos seus ensinamentos. Ele era o alicerce, ele era a peça principal no tabuleiro desse jogo chamado família, se é que posso aqui usar essa metáfora.

Mas Deus o levou, talvez cedo demais, e eu inclusive contestei isso, mas soube aceitar e entender que para tudo há uma hora e um tempo. Aprendi valores importantes com este farol que sempre esteve em minha vida e continua de uma forma diferente, quero assim como ele foi, ser o farol a direcionar a vida de alguém.

Sejamos então um farol ao invés de uma lamparina a se apagar no primeiro soprar do vento. Não adianta desejar um feliz 2019 se você não estiver disposto a fazer diferente, a mudança começa por você, não apenas de nossos governantes e políticos, tudo gira em torno de nós, que somos e podemos ser a diferença na vida de alguém e isso deve sempre ser lembrado e realizado, seja você essa diferença, essa ajuda que alguém tanto espera, sejamos o Farol, sempre a brilhar e dispostos a continuar a ajudar, fazer o bem sem olhar a quem.

Comentários

Espiritualidade na minha vida

Rogério Gimenez

Rogério Gimenez

Advogado nas áreas cíveis, bancárias e defesa do consumidor. Trabalha em São Paulo e reside em Itu.

Arquivo

3 de outubro de 2018

Vigiai e Orai

10 de janeiro de 2018

O que Esperar de 2018?

18 de dezembro de 2017

Papai Noel e Jesus Cristo

22 de janeiro de 2017

Solos Inférteis