Colunistas

Publicado: Domingo, 11 de outubro de 2009

O difícil não é impossível

Evangelho de Marcos, 10, 17-30.
A liturgia consagra pois o 28º Domingo Comum.
11 de outubro. 2009.
Um ensino duro de Jesus, mas explícito.

“” Quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou:
“Bom mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”

Jesus disse:
“Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!”

Ele respondeu:
“Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”.

Jesus olhou para ele com amor e disse:
“Só uma coisa te falta; vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me”.

Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico.
Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos:
“Como é difícil para os ricos entrar no reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus!”

Eles ficaram espantados ao ouvir isso e perguntavam uns aos outros:
“Então, quem pode ser salvo?”

Jesus olhou para eles e disse:
“Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”.

Pedro então começou a dizer-lhe:
“Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”.

Respondeu Jesus:
“Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida – casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições -, e, no mundo futuro, a vida eterna”.  “”


De fato, reconhecidamente, o texto que se acaba de ler é inflexível, duro, e que a tudo se soma a condição de ser bem explicito, claro, sem divagação ou alternativas.

Sentenças de absoluto rigor.

Soam por isso mesmo muito estranhas à sociedade hodierna, livre, solta, cada qual a erigir suas próprias preferências e condições, a maioria delas bem estranhas ao evangelho.

Não prejudicar ninguém!
Não cometer adultério!
Honrar pai e mãe!

Não é preciso renumerar os mandamentos.

Na figura do homem abastado, que no entanto não teve coragem de doar os bens e seguir o mestre, talvez se encontre o grosso das populações. 

Mudar de vida para seguir o mestre, quem o faria?

Verdade que será lícito interpretar o dito de Jesus como um aconselhamento que não indique rompimento contra familiares. Ora, uma vez constituída família, aberração seria abandoná-la. Claro.

Nesse particular, o que se espera do homem do século 21 é que, a despeito de qual seja sua profissão, modo de vida ou laço familiar, que Deus sim esteja acima de tudo e de todos. E justamente ao priorizar a excelência da adoração a Deus, como conseqüência natural, beneficiam-se de suas virtudes todos que estejam à sua volta.

O justo emana de si eflúvios de graça que lhe chegam de Deus Nosso Senhor. Ele catalisa, mas não prende: deixa derramar.

Em suma, como essência da lição desse texto sagrado, a consoladora verdade de que o difícil não é impossível.

Comentários

Reflexão Dominical

João Paulo

João Paulo

João Paulo, pseudônimo do jornalista Bernardo Campos, adotado para temas de espiritualidade.

Arquivo

18 dias atrás

Olhemo-nos de frente

14 de setembro de 2019

Ovelha desgarrada inquieta o Pastor

7 de setembro de 2019

O peso da cruz

Ariza Centro Veterinrio